Por uma nova mentalidade

iG Minas Gerais |

Depois de lançada em maio deste ano, a campanha “Deixem O Espaço do Teatro em Paz” ganhou novo fôlego com a notícia de que a sede do Centro Internacional de Teatro Ecum (CIT–Ecum), em São Paulo, poderia ter outro destino, uma vez que o proprietário do edifício não quis renovar o contrato de aluguel.

A atitude legítima de quem detém o direito sobre o imóvel foi estimulada pela proposta de uma construtora que viu ali a oportunidade de construir um prédio residencial. Diante disso, a classe artística entrou com o pedido de tombamento do edifício onde o CIT-Ecum está instalado. Guilherme Marques, diretor do centro, comemora que tenha sido aprovada a medida recentemente.

No entanto, ele diz que a extensão do contrato de aluguel não foi atendida, e eles terão que procurar um novo local para as suas atividades até o momento. Em torno desse fato, ele analisa como ainda é deficiente a maneira como a sociedade lida com esses espaços. “Por que a construtora não concebe um projeto que acolhe a presença de um teatro? Nós conseguimos manter uma programação aclamada pelo público, realizamos a primeira Mostra Internacional de Teatro de São Paulo, em março, ações que são importantes para a cidade”, diz Guilherme Marques.

Para Ruy Filho, editor da revista “Antro Positivo”, cabe aos governos pensar em estratégias que contribuam para uma mudança dessa postura com os centros culturais. “Eles poderiam exercer uma mediação um pouco mais responsável, fomentando a construção de uma mentalidade a favor da cultura. Aos proprietários desses espaços, poderiam ser oferecidas, por exemplo, algumas alternativas e vantagens”, acrescenta Ruy Filho. (CAS)

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave