Brutal, mas com segurança

iG Minas Gerais |

A preocupação com a ciclística e o motor não fez a MV Agusta esquecer da eletrônica. Ela conta com o chamado MVICS, ou sistema de controle integrado de motor e veículo, que converge os sistemas de ignição e injeção eletrônica de combustível. A tecnologia dá ao modelo quatro mapeamentos que alteram a curva de torque, o limite de rotações do motor, a sensibilidade do acelerador e o freio motor: Normal, Sport e Rain. O quarto é personalizável de acordo com as preferências de quem comanda a Dragster. O modelo ainda é equipado com o sistema EAS – transmissão eletronicamente assistida –, que permite fazer trocas de marchas sem a necessidade de acionar a embreagem.

Para domar a Brutale 800 Dragster, há o controle de tração com oito níveis de “intromissão”. Quando o mecanismo detecta a possibilidade de derrapagem, interfere na abertura da válvula do acelerador e no avanço de ignição para restaurar a aderência. Além disso, o sistema de freios Brembo com ABS traz disco duplo flutuante com 320 mm de diâmetro e quatro pistões na dianteira. Atrás, o disco é simples de 220 mm com dois pistões. Esteticamente, a marca italiana redesenhou as pedaleiras para dar maior controle da moto ao piloto. (RP/AP)

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave