Brutale 800 Dragster une força bruta, beleza e agilidade

Motocicleta esportiva da marca italiana MV Agusta seduz pelo design, mas mantém a ciclística como ponto forte

iG Minas Gerais | Raphael Panaro |

Fotos MV Agusta/Divulgação
undefined
Se tem uma coisa pela qual os italianos são respeitados é o senso estético. Isso vai desde a moda até os automóveis, e essa busca pela perfeição do design também passa pelas motocicletas. A MV Agusta é uma das fabricantes que produzem os modelos mais deslumbrantes do mundo. Sua mais recente criação, a Brutale 800 Dragster se impõe pelo visual agressivo e pelos detalhes minuciosamente trabalhados. Tudo para fazer frente a outra vistosa compatriota: a Ducati 848 Street Fighter, que está à venda na Europa por € 13.490, cerca de R$ 41 mil. A Dragster chama atenção pelo design extremamente compacto, principalmente na traseira. A rabeta é curtíssima, e o desenho é acentuado pelas três saídas de escapamento, pela roda ligada ao chassi apenas pelo eixo monobraço e pelo diminuto para-lama, que traz as luzes de seta e suporte para a placa. Os componentes mecânicos, como o motor, estão expostos e “abraçados” pelo quadro, cobertos apenas com pequenas carenagens. O tanque foi moldado de modo a garantir a máxima capacidade – tem 16,6 litros –, porém mantendo a harmonia da estética agressiva da motocicleta. Além do design, a ciclística é outro ponto forte da Brutale 800 Dragster. A motocicleta tem 167 kg de peso seco e chassi feito em treliça com tubos de aço, conectados a placas laterais de alumínio. A suspensão apresenta um garfo invertido Marzocchi de 43 mm na frente e um monoamortecedor progressivo Sachs com 125 mm de curso na traseira. A parte mecânica da Dragster é a mesma da Brutale 800 “convencional”: traz o conhecido motor três cilindros com duplo comando no cabeçote e refrigeração a água e óleo – que estreou na esportiva F3. Com 798 cm³ de deslocamento, o propulsor gera 125 cv a 11.600 rpm e 8,2 kgfm de torque disponíveis a 8.600 giros. Acoplado a ele está uma transmissão de seis velocidades. Futuro no Brasil. No Brasil, a MV Agusta – representada pela Dafra – começou a vender recentemente a Brutale 800 “normal”, com o preço de R$ 47 mil. Por ser equipada com o mesmo motor e ter basicamente a mesma estrutura, há uma boa chance de a Dragster ser montada em Manaus (AM) e aparecer no mercado brasileiro no ano que vem. Depois da Brutale, a marca italiana deve completar a linha 800 no Brasil com a Rivale e a F3.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave