Favorita, Holanda prega respeito ao perigoso México

Equipe europeia sabe do potencial do adversário que conseguiu incomodar os anfitriões na primeira fase e confirmar boa campanha

iG Minas Gerais | DANIEL OTTONI |

DIVULGAÇÃO/HOLANDA
undefined

Entre os confrontos das oitavas de final da Copa do Mundo, o jogo entre Holanda e México é um dos que mais chama atenção. Não somente pelo potencial das duas seleções, mas por tudo aquilo que elas já demonstraram em território brasileiro. As duas equipes entrarão em campo, hoje, às 13h, na Arena Castelão, em Fortaleza, brigando por uma vaga nas quartas de final do Mundial. 

A Holanda chega como candidata ao título após ter a melhor campanha da primeira fase e de ter o ataque mais eficiente. A força ofensiva comandada por Sneidjer, Robben e van Persie faz qualquer adversário respeitar a equipe antes mesmo de tê-la como adversária.

Não bastando a invencibilidade, a Holanda terá o retorno de três importantes jogadores. Van Persie e De Guzmán cumpriram suspensão na vitória diante do Chile, e o zagueiro Bruno Indi também está de volta, após sofrer leve traumatismo craniano no jogo contra a Austrália.

A confiança não tira da equipe o respeito pela seleção mexicana, que já deu provas de que pode incomodar quem aparecer em seu caminho.

“Temos acompanhado o México. Contra o Brasil, eles jogaram  bem e tiveram boa atuação ofensiva. Depois de segurar o favorito da chave, eles ainda colocaram um 3 a 1 em uma equipe forte como a Croácia. Não podemos nos esquecer destes feitos, não será um jogo qualquer”, salienta o atacante holandês Kuyt, que deve começar o jogo no banco de reservas.

Já o México contará com um futebol organizado, além de milhares de torcedores que estão seguindo a equipe desde a estreia contra Camarões, quando o time venceu por 1 a 0. O time também está invicto, somando duas vitórias e um empate contra os brasileiros, em jogo que teve o goleiro Ochoa como destaque, mas que poderia ter terminado em revés do time da casa.

Apesar de reconhecer o favoritismo holandês, nada tira do México a certeza de que é possível passar para as quartas de final.

"O time deles não é invencível, trata-se de uma seleção como qualquer outra. Sabemos que podemos vencer, nosso trabalho é mais focado no coletivo do que nas individualidades”, destaca o atacante Peralta.

Para ele, a união do grupo não deixa dúvidas de onde o time pode chegar. “Nosso objetivo está muito claro e os jogadores mostram estar em sintonia dentro e fora de campo. Queremos fazer história e isso está constantemente em nosso pensamento. Queremos seguir adiante”, projeta.

O treinador mexicano Miguel Herrera não terá o volante Vasquéz, suspenso após receber o segundo cartão amarelo. Apesar de ter Carlos Peña como uma das opções, o experiente Carlos Salcido é o mais cotado para ganhar uma vaga.