Dedicação total

No ar em “Vitória”, atual trama da Record, Maytê Piragibe faz vários laboratórios para viver a veterinária Renata

iG Minas Gerais | luana borges |

Filmes. Longas como “O Impossível” serviram de laboratório para Maytê Piragibe compor seu papel na trama da Record
CZN
Filmes. Longas como “O Impossível” serviram de laboratório para Maytê Piragibe compor seu papel na trama da Record

Ter a possibilidade de compartilhar das mesmas experiências dos papéis que interpreta é instigante para Maytê Piragibe. Se não fosse por seu papel em “Vitória”, a Renata, ela jamais pensaria em subir em uma moto. Mas, como a personagem é adepta do motocross, a atriz aprendeu algumas posturas e mecanismos de como se pilotar o veículo. A maioria das cenas é feita com dublê. Mas, nos planos fechados, Maytê aparece e precisa dominar a posição correta. “Para a personagem, a gente aprende coisas que nunca pensaria na vida. Em ‘Pecado Mortal’, por exemplo, aprendi a fazer tricô para uma cena. Em ‘José do Egito’, aprendi sobre a religiosidade e a cultura egípcia. São coisas riquíssimas que de repente eu nunca prestaria atenção”, frisa.

Na trama de Cristianne Fridman, Renata está inserida em vários núcleos e situações. Além de praticar motocross, é veterinária, tem uma filha de 11 anos e uma mãe com Alzheimer. E ainda lida com o assédio sexual que sofre do chefe. Mas não sai do emprego porque precisa juntar dinheiro para reconstruir sua casa. Por isso, Maytê dividiu sua atenção em várias referências. Para entender o universo da veterinária, passou dois dias com uma profissional da área. Além de aprender sobre a fisiologia do cavalo, a atriz aproveitou para absorver certos trejeitos da médica. “Bebi muito nessa fonte de uma mulher prática, que lida com peão, cavalos, mas sem perder a graciosidade, apesar de estar em um universo muito masculino”, explica ela, que se sente à vontade no meio dos cavalos. Afinal, já teve uma égua e sabe montar. “Meu pai tem fazenda há muitos anos, fui criada no mato”.

Por sugestão do diretor Edgard Miranda, Maytê assistiu a alguns filmes. Um deles foi “O Impossível”, de Juan Antonio Bayona, que retrata a destruição feita por uma tsunami na Tailândia. A ideia era que a atriz se familiarizasse com as cenas porque havia a possibilidade de gravar sequências da enchente que acabou com a casa de sua personagem na novela. “Eu tinha passado mal vendo esse filme no cinema e não consegui assisti-lo inteiro naquela ocasião”, recorda ela, que também recorreu a lembranças de pessoas próximas que passaram por situações semelhantes. “É muito fácil se colocar no lugar, não é algo tão fora da realidade. A gente tem a possibilidade de perder tudo na nossa vida a qualquer momento”, compara. Outro filme que viu foi “A Duquesa”, de Saul Dibb. Desta vez, para analisar a personalidade da protagonista interpretada por Keira Knightley. “Em paralelo a isso, eu já vou querendo ver outros filmes para estudar mais a atriz porque, de alguma forma, o diretor gosta dela. Uma coisa puxa a outra”, constata.

Todo esse processo de estudo e pesquisa por referências continua a todo vapor. Afinal, a atriz foi a última a ser escalada para o elenco de “Vitória”. E teve apenas duas semanas entre receber o convite para interpretar a veterinária Renata e começar a gravar. Tudo porque entrou para substituir Gisele Itiê, que precisou deixar a novela após sofrer um acidente de moto. “Fico muito feliz que a Record confia em mim e que posso fazer o meu melhor”, orgulha-se.

Perfil Nome completo:

Maytê Bernardes Rodrigues Piragibe

Data de nascimento:

2 de dezembro de 1983

Local de nascimento:

Rio de Janeiro (RJ)

Signo: Sagitário

Últimos papéis na TV:

Donana de “Pecado Mortal” (2013), Azenate de “José do Egito” (2013), Natália de “Promessas de Amor” (2009), Natália de “Os Mutantes” (2008), Joana de “Vidas Opostas” (2006), Eleni de Cidadão Brasileiro” (2006), Júlia de “Como Uma Onda” (2005)

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave