Simples e bonito

Confira o que rolou na semana de moda masculina de Milão e prepare-se para voltar ao menos é mais

iG Minas Gerais |

A Salvatore Ferragamo também apostou nas sandálias, mas as franjas da marca não poderiam faltar
Luca Bruno
A Salvatore Ferragamo também apostou nas sandálias, mas as franjas da marca não poderiam faltar

Será o fim das calças justas e da camisas xadrez? A semana de moda masculina de Milão, que aconteceu entre 21 e 24 de junho, e mostra as tendências para a primavera/verão 2015 no hemisfério norte revelaram um clima bem mais relaxado, e menos extravagante. Fazendo coro ao tão falado normcore, casas tradicionais como a Prada, Fendi e Giorgio Armani trouxeram uma alfaiataria mais distante do corpo, tênis esportivos, muitos cardigãs e parkas, tonalidades mais sóbrias e –pasmem – chinelões de couro em várias produções. Para fashion victims engajadas que torcem o nariz: acostumem-se, um estilo mais atemporal que, segundo Miuccia Prada, veste homens e mulheres, propõe um conceito menos consumista _ e fashionista _à moda. E isso é bom!

Conceituando

Todo dia surge uma nomenclatura nova no universo fashion. Normcore é uma delas. Segundo o “New York Times”, trata-se de um grupo de “jovens urbanos (...) que juram estar cansados dos clichês de street-style da última década _ skinny jeans, carteiras com correntes e camisas de flanela _ em favor de um a visão de mundo menos irônica (mas ainda assim bem irônica), suburbana e anti-fashion”.

O site de tendências K-Hole foi o primeiro a levantar a questão Ser especial x Ser livre. “Ser diferente pode não ser uma jornada solitária, mas uma atividade em grupo. O 'indie de massa' tem um conceito viciante, que é como nossa cultura funciona”, argumenta o site. A busca pela individualidade, na realidade, nada tem de individual, mas serve para fomentar uma indústria de consumo (especialmente do fast-fashion) que tende a se tornar um vício infinito. O ser “comum” é a antítese dessa “modernidade”. E é justamente esse o humor visto na semana de moda masculina de Milão.

O contraponto

Quem ainda tem apego pela calça skinny pode respirar aliviado. A Diesel Black Gold, por exemplo, investiu no clássico estilo rock and roll, com jeans justos, jaquetas bem-cortadas e jeans de altíssima qualidade. Já a Gucci fez um show de pegada naval, com os tradicionais tons branco, vermelho e azul, além de mocassim com ferragem dourada. A alfaiataria, no entanto, veio mais ajustada ao corpo e as calças mais curtas, bem na onda do que já vem acontecendo entre os ligados na modernidade. A barra da calça, aliás, pode continuar dobrada _ assim como usa o rapper Pharrel _ com os sapatos sem meia. A combinação ainda terá fôlego fashion por algumas temporadas.  

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave