Agilidade do Move recebe aprovação de turistas

Torcedores percorreram rapidamente distância até o centro e viram evolução no transporte em relação à Copa das Confederações

iG Minas Gerais | JOSIAS PEREIRA |

Volta até o centro foi viagem tranquila com brasileiros e chilenos
JOSIAS PEREIRA/WEBREPÓRTER
Volta até o centro foi viagem tranquila com brasileiros e chilenos

Apesar da superlotação nas plataformas de acesso ao Move, na Avenida Antônio Carlos, o trajeto do torcedor até o centro de Belo Horizonte foi bastante eficiente. O percurso até a estação Rio de Janeiro foi concluído em 20 minutos. Dentro dos veículos, muita festa dos brasileiros e lamentações dos chilenos, que tiveram que aguentar vários cânticos em tom provocativo.

Em determinado momento do trajeto acompanhado pela reportagem de O TEMPO, um chileno chegou a se estranhar com um brasileiro, mas os xingamentos logo foram trocadas pelo clima de cordialidade e um aperto de mão. A agilidade no deslocamento recebeu elogios do casal de engenheiros Adamor e Janaína. Moradores da cidade de Belém, eles vieram à capital mineira apenas para acompanhar o Brasil em ação contra os chilenos.

"Chegamos hoje, por volta das 11h. Não tive dificuldades no aeroporto, peguei os ingressos facilmente. Está funcionando tudo perfeitamente. Já fomos na Copa do Mundo da Alemanha, da África do Sul, e podemos afirmar, com toda a certeza, que o Brasil não está deixando a desejar", afirmou Adamor.

Já para Janaína, o que mais impressionou foi a evolução de Belo Horizonte em um ano. O casal esteve na capital mineira durante a Copa das Confederações. "Viemos aqui em 2013. Foi tudo muito complicado e desorganizado. O trânsito estava impossível e não tínhamos nenhuma informação pelas ruas. Agora não. Tudo mudou. Estamos bem satisfeitos com a evolução", apontou.

Acompanhado de seu filho Diego, o chileno Carlos Valdivia era um misto de decepção e conformismo. "Tive que aguentar umas provocações, mas está tudo bem. Faz parte. A gente nunca ganhou nada mesmo", disse.

Apesar das lamentações, ele aprovou o transporte público da capital mineira e deu nota 10 à receptividade do povo mineiro. "Lá no Chile, eles já tinham me falado que iríamos nos sentir em casa. O povo daqui (Belo Horizonte) nos recebeu muito bem, merecem uma nota 10. Fomos muito bem orientados e, mesmo quando tivemos dificuldades, as pessoas tentavam resolver nossos problemas com muita boa vontade", afirmou Valdivia, que já sabe para quem vai torcer no restante da Copa. "Agora é Brasil. Vocês têm que ganhar este título", concluiu.

Leia tudo sobre: movetransportepúblicodistânciacaminhocentrotorcidabrasileiroschilenoscopa do mundobelo horizonte