Torcida é combustível para México passar pela Holanda

Equipe terá que desbancar o tabu de ter chegar às quartas de final, nas duas últimas vezes, jogando Copa do Mundo dentro de casa

iG Minas Gerais | DANIEL OTTONI |

undefined

Nas últimas vezes que chegou às quartas de final da Copa, em 1986 e 1970, o México jogou em casa, fator que não estará presente neste domingo, às 13h, quando o time irá encarar a Holanda pelas oitavas de final da Copa do Mundo. As boas atuações mostradas nos três primeiros jogos dão ao técnico Miguel Herrera a certeza de que é possível eliminar os europeus. No entanto, a sede de fazer história também passa pelo apoio da torcida, que certamente irá marcar presença na capital cearense. Nos jogos realizados até aqui, o time contou com o apoio de muitos torcedores, que deram importante contribuição. No duelo contra a Holanda, é certo que eles estarão novamente nas arquibancadas, fazendo o que puderem para ver o time se qualificar. “Precisamos tê-los ao nosso lado. Eles fazem a energia ser vibrante e contagiosa, desde o momento do hino até o final do jogo. Isso nos dá muito estímulo para fazer o melhor em campo. Fizemos o impossível para estar aqui e vamos continuar lutando”, indica o treinador. Clima. O forte calor que faz na capital cearense já dá, aos dois times, a certeza de que a condição física será testada durante os 90 minutos iniciais. Apesar de ter jogadores mais acostumados a este tipo de clima, o técnico do México Miguel Herrera lembra de um importante detalhe. “Muitos dos meus jogadores atuam na Europa há muitos anos e também não estão tão habituados assim a jogar neste tipo de ambiente. A umidade e o calor vai influenciar os dois times. Talvez isso pode nos ajudar de alguma forma. Mas o mais importante é que estamos em boas condições físicas”, completa.