Manifestantes encerram protesto antes do fim do jogo do Brasil

Protesto organizado pelas redes sociais reuniu cerca de 100 pessoas na praça Sete; polícia utilizou a tática do envelopamento

iG Minas Gerais | Bruna Carmona |

Bárbara Ferreira/Web Repórter
undefined

Cerca de 100 manifestantes que participaram do protesto antiCopa deste sábado (28), na praça Sete, no centro de Belo Horizonte, decidiram encerrar o ato antes do fim do jogo do Brasil, após entrar em acordo com a Polícia Militar. O grupo dispersou e o trânsito na praça Sete foi liberado pouco antes das 14h.

A manifestação, que tinha concentração marcada para as 10h, começou por volta de 12h30, quando o trânsito foi fechado no entorno da praça Sete. Imediatamente, militares da Tropa de Choque cercaram todo o grupo usando a tática do "envelopamento".

Dentro do cerco, o grupo pediu liberdade para manifestar cantando o refrão “eu quero passar”, enquanto artistas realizavam performances para criticar a repressão policial, a Fifa e o transporte público em Belo Horizonte. Durante a 'Copelada', a bola usada na partida caiu do lado de fora do cerco policial e a PM não deixou que os manifestantes saíssem para pegar. O grupo gritou pedindo a bola de volta e uma pessoa que passava pelo local a devolveu.

No primeiro tempo da partida entre Brasil e Chile, o grupo que estava cercado permaneceu em silêncio quando recebeu a informação de que a seleção brasileira tinha saído na frente no placar. O clima de tranquilidade prevaleceu na maior parte do protesto, que só ficou tenso quando um rapaz tentou impedir que um dos manifestantes filmasse o ato. Algumas pessoas que participavam da manifestação ficaram exaltadas e chegaram a discutir com militares, que deixaram o rapaz que tentou impedir a filmagem passar pelo cerco.

Não houve prisões durante o ato deste sábado. A PM também não registrou movimentação de manifestantes na praça da Estação, no centro da capital, nem na região da Pampulha, onde havia previsão de protestos para este sábado.

Guerra de liminares

No início da semana, movimentos sociais conseguiram uma liminar na Justiça que limitava a ação da polícia durante protestos antiCopa. Na última quinta-feira (26), a Advocacia Geral do Estado (AGE) entrou com um pedido de cassação da liminar, que foi acatado. Os advogados que representam movimentos sociais garantiram que vão recorrer da decisão, mas não disseram quando isso deve acontecer.  

Leia tudo sobre: protestoantiCopapraça SeteBelo horizontecopacopa do mundo