Mesmo com polêmica, PM volta a 'envelopar' manifestantes na praça Sete

Grupo que protesta só pode deixar o quarteirão da praça depois de passar por revista; PM venceu na Justiça e não tem impedimento de usar a tática

iG Minas Gerais | Fernanda Viegas |

Mesmo com toda a polêmica sobre a tática de "envelopamento" utilizada pela Polícia Militar (PM) nas ruas de Belo Horizonte, para conter a ação de manifestantes, a corporação volta a usar a estratégia, neste sábado (28), na praça Sete, no centro da capital.

Cerca de cem pessoas manifestam contra a realização da Copa do Mundo no Brasil e estão cercadas pela polícia no quarteirão da praça. O comando da PM não informa o número de policiais, mas é possível notar nas ruas, que o efetivo é bem maior do que a quantidade de manifestantes.

A metodologia usada pela PM começou a ser aplicada, na capital, depois que depredações a prédio públicos e privados aconteceram no dia da abertura do Mundial, 12 de junho.

O grupo que protesta pode deixar o cerco policial após passar por revista. A intenção anunciada pelos manifestantes, durante a semana, é de fazer passeatas pela cidade. Até o momento, o movimento de protestantes só é presenciado no centro.

Discussão

A Comissão dos Atingidos pela Copa (COPAC) entrou na Justiça, alegando ser inconstitucional, por impedir o direito de ir e vir e por pressupor que ops manifestantes serem criminosos. Na primeira avaliação, eles conseguiram impedir que a polícia fizesse novo envelopamento.

Contudo, após recurso, a polícia conseguiu reaver a decisão. Para a PM, a estratégia funciona e é usada, assim como em outros países democráticos.

Leia tudo sobre: manifestaçãocercoenvelopamento