Reserva de luxo, Kuyt pode fazer 100º jogo com camisa da Holanda

Jogador revela estar à disposição do treinador Louis van Gaal e mostra respeito pelo México

iG Minas Gerais | DANIEL OTTONI |

Holandeses garantem que não vão jogar retrancados, como fez a Alemanha, e que vão encarar a Espanha de frente
FRANK AUGSTEIN/AP - 1.7.2010
Holandeses garantem que não vão jogar retrancados, como fez a Alemanha, e que vão encarar a Espanha de frente

Um dos jogadores mais importantes da Holanda não deve entrar jogando contra o México, neste domingo, às 13h, na Arena Castelão, em Fortaleza, pelas oitavas de final da Copa do Mundo.

Mas a importância do atacante Kuyt para o time de Louis van Gaal é inegável. Prestes a completar 10 0 jogos com a camisa laranja, ele mostra estar à disposição para o que precisa. Um exemplo de sua dedicação pôde ser visto no último jogo, contra o Chile, quando ele desempenhou um papel um pouco diferente, voltando mais para ajudar na marcação.

Mesmo sabendo que a concorrência é pesada, ele parece não se incomodar e saber que seu momento pode aparecer a qualquer instante. “Com Robben e van Persie, devo realmente começar no banco. Mas o treinador sabe que pode contar comigo. Espero ajudar para que fiquemos por mais tempo no Mundial”, indica Kuyt, que não conseguiu esconder o incômodo que o que alguns meios de comunicação falaram sobre a Holanda.

“Disseram que não temos uma equipe tão forte assim. Um absurdo. Se isso não fosse verdade, não teríamos vencido, com propriedade, times como Espanha e Chile, além de termos o melhor ataque da competição”, destaca, lembrando os 10 gols feitos pela sua seleção até aqui.

Sabendo do potencial de seus companheiros, ele também reconhece os perigos que o México possui. “A qualidade do Chicharito Hernandéz é apenas um dos exemplo do que eles possuem no elenco. Temos um grande respeito por este adversário, mas espero que possamos vencer e avançar”, afirma.