Equilíbrio marca retrospecto entre Holanda e México

Nos seis jogos realizados entre as duas equipes, apenas um deles aconteceu em Copas do Mundo

iG Minas Gerais | DANIEL OTTONI |

Atacante camaronês está de malas prontas para o Anzhi (RUS), mesmo time de Diego Tardelli (Ex-Atlético)
Felipe Dana/AP
Atacante camaronês está de malas prontas para o Anzhi (RUS), mesmo time de Diego Tardelli (Ex-Atlético)

Retrospectos não entram em campo, mas servem para mostrar que tudo (ou muita coisa) pode acontecer em uma Copa do Mundo. Principalmente, quando o duelo é feito por duas equipes fortes que disputam uma vaga nas quartas de final em partida de jogo único.

Holanda e México se enfrentarão no próximo domingo, às 13h, na Arena Castelão, em Fortaleza, em encontro que possui amplo favoritismo para os europeus, considerados por muitos como um dos candidatos ao título do Mundial.

No entanto, o saldo das duas equipes é bastante equilibrado. Até aqui, são seis jogos, com três vitórias holandeses, duas mexicanas e um empate. O equilíbrio aparece também no número de gols feitos para cada lado. São 11 até o momento, aumentando ainda mais a chance de um duelo parelho.

Nova vitória da equipe da América do Norte, por mais improvável que seja para alguns, deixará o retrospecto idêntico entre as duas seleções.

Em Mundiais, o único confronto terminou em empate e aconteceu na cidade de St. Etienne, na França, na Copa de 1998. Depois de abrir 2 a 0 com Cocu e Ronald de Boer, o México buscou o empate nos minutos finais com Pelaez, aos 30 do segundo tempo e Luis Hernandez aos 49min, praticamente no último lance do jogo, quando os mexicanos já estavam com um homem a menos.

A partida dá um bom exemplo das dificuldades que os holandeses devem ter diante de uma equipe bem armada taticamente e muito aguerrida, que promete dar a vida por uma classificação às quartas. Favoritismo, neste momento do Mundial, conta pouco e será preciso ir além da teoria para se garantir entre os oito melhores times do Mundo.

Com 100% de aproveitamento na primeira fase, a Holanda chegada embalada após goleada sobre a atual campeã do mundo Espanha e triunfo sobre o Chile, que terminou em segundo lugar no grupo. os três resultados positivos encheram o time de confiança para as próximas batalhas.

"Vencemos por 5 a 1 a Espanha campeã do mundo e o Chile, apontado como sensação do Mundial. Acho que não temos que convencer mais ninguém depois disso", projeta o meia holandês Dirk Kuyt.

Já o México se classificou na última rodada, após vitória convincente de 3 a 1 sobre a Croácia e somar o mesmo número de pontos do anfitrião Brasil. No jogo contra a equipe de Felipão, os mexicanos se seguraram bem e impediram que Neymar e cia. chegassem às redes, em boa parte beneficiados pela boa fase do goleiro Ochoa, um dos destaques do time na Copa.

"México é muito bem respeitado por todo o mundo. Fez um grande jogo contra Brasil. Venceram de 3 a 1 da Croácia, um bom time também. Vai ser um grande jogo. Todo time tem forças e fraquezas. Mas estou seguro que temos condições de vencer", comenta Kuyt, reconhecendo as qualidades do adversário comandado pelo técnico Miguel Herrera.