Dilma rebate críticas sobre contrato para explorar pré-sal

Presidente saiu em defesa da Petrobras e disse que as vozes dos que criticam a empresa “vão se perder na imensidão"

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Dilma defende Petrobras
MARCELO CAMARGO/AGÊNCIA BRASIL
Dilma defende Petrobras

Em meio às críticas sobre a contratação da Petrobras para explorar, sem licitação, o óleo excedente em quatro áreas do pré-sal, a presidenta Dilma Rousseff saiu nesta sexta-feira (27) em defesa da estatal e disse que as vozes dos que criticam a empresa “vão se perder na imensidão do mar do pré-sal”. Segundo Dilma, não é possível fazer política de exploração de petróleo com visão de curto prazo.

“Voltou o alarido das vozes que sempre quiseram diminuir a Petrobras, dos que sempre quiseram entregar nossas oportunidades sem olhar pra quem e em que condições, daqueles que querem olhar uma empresa de petróleo baseada na sua rentabilidade de curto prazo”, disse, ao discursar na convenção nacional do PCdoB.

Dilma rebateu as críticas de que os recursos recebidos pela União no novo contrato com a Petrobras serão usados para gerar superávit primário. Ela citou o valor de bônus de assinatura, de R$ 2 bilhões, que será pago pela estatal na assinatura do contrato.“Levamos em consideração a Petrobras e só cobramos R$ 2 bilhões. Este ano ela só pagará R$ 2 bilhões. Por isso, quando vocês virem no jornal que estamos fazendo superávit primário, superávit se faz com R$ 15 bilhões, não fazemos com 2 bilhões. Dois bilhões não dá para o gasto”, comparou.

A exemplo do que tem feito em discursos recentes, a presidenta criticou o pessimismo propagado em relação à realização da Copa do Mundo. Desta vez, Dilma citou a mídia nacional e internacional que, segundo ela, erraram nas avaliações sobre o Mundial de futebol. “A imprensa nacional também errou bastante na avaliação. Sem nenhum ânimo belicoso, é importante registrar que erraram feio na avaliação”.  

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave