Pelé diz que punição para Suárez foi correta e serve para dar exemplo

Rei do futebol confessou que não tinha visto um lance semelhante ao do atacante uruguaio

iG Minas Gerais | FOLHAPRESS |

Pelé pede que manifestantes 'poupem' seleção na Copa
Divulgação/Fifa
Pelé pede que manifestantes 'poupem' seleção na Copa

O ex-jogador Pelé disse na tarde desta sexta-feira (27) que a punição aplicada pela Fifa ao atacante uruguaio Luis Suárez- suspenso por oito partidas por causa de uma mordida no ombro do zagueiro Chiellini, da Itália, o que o tirou do Mundial- foi correta e serviu para dar exemplo e evitar que outras agressões do tipo ocorram durante a competição.

Pelé disse que caso a Fifa não tivesse sido rigorosa com o jogador haveria a possibilidade de episódios do tipo se repetissem na Copa do Mundo.

"A decisão da Fifa foi boa, foi correta, porque tem que dar exemplo. Se esse exemplo não for dado no início, isso pode se alastrar [dentro de campo]. Esse exemplo não deve ser copiado por ninguém. Eu acho que foi justo porque serve de parâmetro daqui para frente", disse o ex-jogador, que deu entrevista em um hotel em Copacabana, na zona sul do Rio.

O jogador, que havia retornado de um evento social na favela do Jacarezinho, zona norte do Rio, promovido pela marca suíça de relógios Hublot, dona do hotel na orla de Copacabana onde ocorreu a entrevista, se disse surpreso com a mordida protagonizada por Suárez.

Pelé disse que é comum jogadores perderem a cabeça dentro de campo e darem cabeçadas, cotoveladas ou entrarem mais duro em dividias de bola com os pés. Mas mordida, disse, foi inédito para ele -ainda que o Suárez já tenha feito isso outras duas vezes no campeonato inglês, onde defende o Liverpool.

"Porque todas as reações que as vezes nós temos de revolta [dentro de campo] sempre foram ou uma cabeçada ou uma cotovelada, até uma jogada mais dura embaixo, disputando com pé a bola, mas realmente de mordida é a primeira vez que acontece isso. Para todos nós que já estivemos dentro do campo realmente foi uma coisa inédita", disse rindo.

SELEÇÃO BRASILEIRA

Sobre a seleção brasileira, Pelé disse que que "do meio para a frente" o time de Felipão ainda não engrenou e sofre ainda do que se cunhou dizer "Neymar dependência". É a primeira vez na história, segundo ele, que a defesa está mais arrumada tecnicamente que o ataque -cenário que, em sua avaliação, ainda não havia sido observado em outras oportunidades na seleção.

O ex-jogador ressalvou, no entanto, que a responsabilidade que hoje recai sobre Neymar tem de ser dividida entre os outros jogadores. Para ele, é uma responsabilidade muito "pesada" para o atacante carregar sozinho.

"Do meio para trás, tem uma excelente defesa, está organizado, entende? Essa é a única diferença que eu vejo. Brasil está melhorando, mas ainda não engrenou na parte ofensiva (...). Sem dúvida nenhuma [que há uma dependência do Neymar no time]. Nós estamos dependendo de o Neymar jogar bem ou mal. Essa é uma das dificuldades do Felipão. Essa é uma dificuldade", afirmou.

Pelé não arriscou palpites para o jogo do Brasil contra o Chile pelas oitavas de final. Disse apenas que, dado o equilíbrio entre as seleções, não haverá jogo fácil para a seleção durante a Copa.

"Quem pensa em ganhar um Copa do Mundo, chegar numa final, não tem que escolher equipe. Tem que estar preparado para jogar com quem vier. Para o Brasil não vai ter jogo fácil, porque esse torneio está equilibrado".

Pelé se disse ainda satisfeito com os jogos da Copa e comemorou o fato de as equipes terem jogado a fase de grupo "para frente", com jogos abertos. "Só espero que as seleções continuem assim, não pensando em somente se defender, nas fases eliminatórias", afirmou.

Leia tudo sobre: PeléSuárezCopa do Mundofutebolmordidaseleção brasileira