Sampaoli vê Brasil com estilo diferente de outros anos, mas perigoso

Treinador da seleção chilena parece ter estudado muito bem o time brasileiro e pretende neutralizar pontos fortes como ligações diretas e velocidade nos contra-ataques

iG Minas Gerais | Felipe Ribeiro e Fernando Almeida |

O técnico Jorge Sampaoli e o lateral-esquerdo Mena concederam entrevista coletiva nesta sexta-feira no Mineirão
JOAO GODINHO / O TEMPO
O técnico Jorge Sampaoli e o lateral-esquerdo Mena concederam entrevista coletiva nesta sexta-feira no Mineirão

Jorge Sampaoli é conhecido por ser um treinador estudioso. Desde que foi trabalhar no futebol chileno, em 2001 dirigindo a Universidad de Chile, ele optou por uma vida mais reclusa, longe da família, para se dedicar integralmente ao trabalho com o futebol.

O professor da seleção chilena já viu vídeos e teve a oportunidade de enfrentar a seleção brasileira em amistosos. Por conta disso, ele domina bem os pontos fortes e fracos do adversário deste sábado, pelas oitavas de final da Copa do Mundo, no Mineirão.

O treinador observa que a atual seleção brasileira tem um estilo de jogo diferente em relação a outras que jogaram num passado recente. Em vez do toque de bola e a armação de jogadas, o time de Felipão aposta mais na agressividade e na transição direta.

"Espero por uma partida mais lenta, tendo em vista do que o Brasil propõe. Esse Brasil é diferente e vão tentar aproveitar espaços num jogo mais direto do que estamos acostumados a ver. Já enfrentamos o time, eles jogam com transições rápidas, passes diretos para os pontas. Temos que tomar cuidado com a perda da bola no ataque", disse Sampaoli.

A recuperação de bola rápida e a verticalidade são marcas registradas de uma equipe tem hoje um dos maiores jogadores do futebol mundial. Neymar terá atenção especial, mas não individual. A marcação chilena deverá ser por zona, ocupando espaços.

"É uma equipe muito direta, com velocidade na transição e que recupera a bola rapidamente. O Brasil também tem uma forte defesa e Neymar é muito diferenciado e faz excelente Mundial. Temos que jogar com organização como fizemos contra a Espanha, neutralizando grandes jogadores do mundo que o adversário possui", destacou o treinador do Chile.

Leia tudo sobre: BrasilChileSampaoliCopa do MundoMineirãoBelo Horizonte2014