Trataram Suárez como bandido, diz Lugano em encontro com Maradona

Defensor uruguaio comentou saída do atacante da concentração da seleção em Natal, após punição

iG Minas Gerais | FOLHAPRESS |

Defensor uruguaio lembrou de outros lances violentos na Copa e criticou postura da imprensa
Joao Godinho/O Tempo
Defensor uruguaio lembrou de outros lances violentos na Copa e criticou postura da imprensa

Em conversa com o argentino Diego Maradona, o capitão da seleção uruguaia, Diego Lugano, criticou novamente a punição dada ao atacante Luis Suárez pela Fifa, após a mordida dada no ombro do zagueiro italiano Chiellini, na última terça-feira (24).

O zagueiro do Uruguai afirmou que o companheiro de equipe foi tratado como "bandido" ao ser retirado da concentração do time sul-americano durante a competição.

"[Suárez] Não fez nada e o tiraram da concentração como um bandido. Incrível", afirmou Lugano, em bate-papo transmitido pela emissora venezuelana 'TeleSur'.

"Ele se recuperou do joelho para correr por nós com meia perna. Deixou a vida para estar aqui no melhor momento de sua carreira. Estando a ponto de ter uma transferência histórica, veio ao Uruguai enfrentar os apuros no terceiro mundo. Tudo para jogar conosco", completou, agradecendo o ídolo argentino pelo apoio público dado após a punição.

Suárez voltou para o seu país na manhã desta sexta-feira (27). O jogador desembarcou em Montevidéu por volta das 5h da manhã (de Brasília) e deixou o Aeroporto de Carrasco sem falar com a imprensa.

"Nós o respeitamos e vamos defendê-lo até a morte. [Esta situação] Nos dói, mas isso nos faz mais fortes", encerrou Lugano.

Por causa da mordida, Suárez foi suspenso por nove jogos da seleção uruguaia e não poderá nem mesmo acompanhar as partidas restantes do seu time na Copa no estádio, já que foi proibido de entrar em arenas de futebol onde o Uruguai estiver jogando durante o período de suspensão.

O atacante está ainda proibido de participar de qualquer atividade relacionada ao futebol por quatro meses. Ou seja, o atleta irá desfalcar o Liverpool até outubro.

Leia tudo sobre: LuganoSuárezatacantezagueiroUruguaimordidaChiellinidefesa