Abate de bovinos acumula alta pelo décimo trimestre consecutivo

Segundo os dados da pesquisa, prática atingiu 8,4 milhões de cabeças nos primeiros três meses deste ano

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Abate de gado, em 2013, é recorde se comparado a 2012 segundo o IBGE
Agência Brasil/Arquivo
Abate de gado, em 2013, é recorde se comparado a 2012 segundo o IBGE

Embora tenha ficado 5,9% abaixo do recorde alcançado no último trimestre do ano passado, o abate de bovinos fechou os primeiros três meses deste ano acumulando o décimo aumento trimestral consecutivo da série histórica, inciada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em 1997.

  As informações constam das pesquisas trimestrais do Abate de Animais, Aquisição de Leite, Couro e Produção de Ovos referentes ao primeiro trimestre do ano e divulgada na última quinta-feira (26) pelo IBGE. Segundo os dados da pesquisa, o abate bovino atingiu 8,4 milhões de cabeças nos primeiros três meses deste ano. Embora inferior ao recorde de 8,9 milhões de cabeças obtido no trimestre anterior, o volume é 2,9% superior ao registrado no primeiro trimestre de 2013 (8,1milhões de cabeças).   “Nos comparativos anuais dos mesmos trimestres, o primeiro trimestre de 2014 é o décimo consecutivo em que se tem observado aumento da quantidade de bovinos abatidos, registrando recorde entre os primeiros trimestres”, ressaltou o IBGE.   Houve incremento de 238,9 mil cabeças bovinas abatidas no primeiro trimestre de 2014, comparativamente ao mesmo período do ano anterior, com destaque para Minas Gerais (mais 122,2 mil cabeças); Goiás (102,6 mil); e Pará (63,9 mil).   O Mato Grosso continuou na liderança nacional do abate de bovinos, apesar da queda de 3,4% da quantidade de cabeças abatidas no mesmo comparativo. Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Goiás ocuparam as três primeiras posições no trimestre, respondendo juntos por 38,9% do abate nacional de bovinos.

Leia tudo sobre: Abatebovinosaltarecorde