Imprensa britânica critica e provoca Suárez após punição da Fifa

Jornais relembram tempo que jogador já desfalcou clubes por causa das outras mordidas e problemas extra-campo: foram 47 partidas

iG Minas Gerais | FOLHAPRESS |

No ano passado, o uruguaio mordeu o braço do zagueiro Ivanovic
Reprodução
No ano passado, o uruguaio mordeu o braço do zagueiro Ivanovic

"Suárez não é uma criança de três anos, é um homem crescido". Assim, o jornal britânico "The Telegraph" provocou o jogador uruguaio suspenso da Copa do Mundo e dos gramados pelos próximos quatro meses.

E ainda fez uma ironia. Somou os jogos perdidos pelo atacante em razão das punições recebidas nos últimos anos: nove pela seleção do Uruguai e 13 pelo Liverpool por causa da mordida na Copa, dez em 2013 pela mesma atitude contra Ivanovic (Chelsea), outros oito em 2011 por insultos racistas a Patrice Evra (Manchester United), e mais sete por uma mordida no adversário em 2010 quando jogava pelo PSV Eindhoven, da Holanda.

Em nenhum dos jogos, o uruguaio havia sido expulso pelo juiz. Ou seja, 47 jogos fora sem um cartão vermelho. "Um recorde que provavelmente nunca será batido", provoca o jornal.

A punição da Fifa é mais um elemento na conturbada relação que o jogador do Liverpool, artilheiro da última temporada da Premier League com 31 gols, construiu com a mídia local.

Ao marcar dois gols contra a Inglaterra, praticamente a eliminando da Copa, atacou os "críticos". Um dos endereços era claro: a imprensa britânica.

A resposta veio na quinta-feira (26), após a Fifa anunciar a sentença pela mordida no italiano Chiellini. Os principais jornais locais destacaram o prejuízo que a atitude do uruguaio dará ao Liverpool, vice-campeão da Premier League.

Ao todo, ele não poderá atuar em nove jogos da Premier League, três da Champions League e um pela Copa Inglesa.

"Com todo seu histórico, um banimento que excedesse seis jogos era certamente inevitável", destacou o "The Guardian".

A BBC, no site e na televisão, destacou a possibilidade de Suárez ser negociado, citando Real Madrid e Barcelona como prováveis destinos.

Leia tudo sobre: imprensainglaterrasuárezmordidapuniçãoprejuízoliverpoolajaxracismo