FIA aprova mudanças, e relargadas da F-1 serão feitas no grid

De olho em elevar a audiência, Fórmula 1 será diferente em 2015 e principal transformação coloca carros estacionados em relargadas

iG Minas Gerais | FOLHAPRESS |

Andrew Brownbill/ap-26.3.2010
undefined

Na tentativa de melhorar o espetáculo e reconquistar a audiência que vem perdendo nos últimos anos, o Conselho Mundial da FIA aprovou uma série de mudanças na F-1 que passam a valer já a partir do próximo ano.

Entre elas estão o fim das relargadas em movimento e a adoção de placas de titânio no assoalho dos carros para promover faíscas.

As novidades também incluem medidas para tentar cortar os gastos da categoria, reclamação constante entre as equipes menores do grid.

Na reunião em Munique, na Alemanha, a principal mudança no regulamento esportivo da categoria foi a definição de que as relargadas, a partir de 2015, serão feitas com os carros estacionados no grid, no mesmo formato das largadas atuais.

Elas não serão usadas, porém, caso sejam necessárias após duas voltas da largada (ou relargada) ou se faltar menos de cinco voltas para o fim da corrida.

O Conselho Mundial também decidiu voltar atrás em uma medida que passaria a valer no próximo ano, que era o banimento dos cobertores de pneus.

De acordo com a entidade que comanda o automobilismo, a ideia de proibir o uso do cobertor voltará a ser discutida no futuro.

Dentre as novidades que visam conter os gastos da F-1, a mais importante é a diminuição no número de testes, tanto antes quanto durante a temporada.

A partir do próximo ano, os times terão três (e não mais quatro) sessões de ensaios antes do início do Mundial, todos na Europa -neste ano eles testaram no Bahrein.

Este número será reduzido para apenas duas sessões de quatro dias cada uma em 2016. Em 2015 também haverá duas sessões de testes de dois dias cada uma, na Europa, durante a temporada. Neste ano são quatro. Dois destes quatro dias serão obrigatoriamente reservados para os pilotos novatos. 

Outras mudanças no funcionamento das equipes durante os finais de semana de corrida incluem o início do "Parc Fermé" desde o início do último treino livre e não mais da classificação e o "Toque de Recolher", período no qual os times não podem trabalhar em seus carros, na noite de sexta para sábado, passará de seis para sete horas no ano que vem e para oito em 2016.

O Conselho Mundial também aprovou algumas mudanças no regulamento técnico da F-1 para o próximo ano, entre elas regras que permitirão que as equipes redesenhem os bicos de seus carros, que geraram muita polêmica no início desta temporada, assim como o uso de placas de titânio para gerar faíscas e "aumentar o espetáculo" para os torcedores.

Leia tudo sobre: mudançasf1fórmula 1carrosfiaregulamentorelargadagrid