Barcelona, Real e M. United caem em ranking dos jogadores da Copa

De clubes que mais forneceram atletas ao Mundial, times-bases de Espanha e Inglaterra agora pouco contribuem nas oitavas

iG Minas Gerais | FOLHAPRESS |

Equipe de Ribéry e Robben levou o título do torneio amistoso do verão alemão
DIVULGAÇÃO/BAYERN
Equipe de Ribéry e Robben levou o título do torneio amistoso do verão alemão

Clubes responsáveis por ceder boa parte dos jogadores convocados para disputar a Copa do Mundo no Brasil, os espanhóis Barcelona e Real Madrid, além do inglês Manchester United, viram diminuir significativamente a quantidade dos seus astros nas oitavas de final da Copa-2014.

A equipe inglesa, que contou com 14 jogadores convocados para o Mundial antes de o torneio começar, tem agora somente cinco representantes na fase mata-mata da competição. Os "sobreviventes" foram Hernández (México), Van Persie (Holanda), Evra (França), Fellaini e Januzaj (Bélgica).

A queda vertiginosa de atletas que vestem a camisa do tradicional time de Manchester entre as 16 seleções que continuam no Mundial aconteceu, principalmente, por causa da eliminação precoce da Inglaterra, que contava com quatro jogadores do clube.

Ao serem derrotados por Itália e Uruguai, e empatarem com Costa Rica pelo grupo D, os zagueiros Phill Jones e Smalling, e os atacantes Welbeck e Rooney, vão retornar ao United após servirem a seleção que mais convocou jogadores do clube.

As quedas na primeira fase da Espanha, com De Gea e Juan Mata, de Portugal, com Nani, do Equador, com Valencia, e do Japão, com Kagawa, também contribuíram para a equipe inglesa contar com seus atletas mais cedo para a próxima temporada europeia.

Já Barcelona (com 13 jogadores convocados) e Real Madrid (com 12) somavam mais de uma seleção convocada para o Mundial no Brasil. Mas, a eliminação da atual campeã Espanha no grupo B reduziu para dez a quantidade de atletas dos dois clubes espanhóis nas oitavas.

Somente do time catalão, Piqué, Alba, Busquets, Fàbregas, Xavi, Iniesta e Pedro foram chamados para disputar o bicampeonato. A exceção foi Song, que jogou por Camarões. Do lado madrilenho, Casillas, Sergio Ramos e Xabi Alonso fizeram parte do fracasso espanhol dentro de campo.

Com isso, restaram Messi e Mascherano (Argentina), Neymar e Daniel Alves (Brasil), além de Alexis Sánchez (Chile), que foram à Copa ainda como jogadores do Barcelona, enquanto Di María (Argentina), Varane e Benzema (França), Marcelo (Brasil), e Khedira (Alemanha), pertencentes ao Real.

MAIORIA BÁVARA

Depois de ser, ao lado do Manchester United, o clube que mais cedeu jogadores nas convocações pré-Copa, com 14 nomes, o Bayern de Munique continuou com a maioria dos jogadores nas oitavas de final. Agora, porém, são 12.

Isso graças à classificação da seleção alemã, que agora enfrentará a Argélia no próximo dia 30, em Porto Alegre. Do time do técnico Joachim Low, sete (Neuer, Lahm, Boateng, Götze, Kroos, Thomas Müller e Schweinsteiger) atuam no time de Munique.

Também do Bayern, Robben, da Holanda, Shaqiri, da Suíça, Van Buyten, da Bélgica, Julian Green, dos Estados Unidos, e Dante, do Brasil, continuam na competição. As eliminações ficaram por conta do croata Mandzukic e do espanhol Javi Martínez.

Já o Napoli, com 12 convocações inicialmente, ainda conta com nove jogadores na Copa e se tornou o segundo clube com maior representatividade no mata-mata. Entre eles, o reserva da seleção brasileira Henrique.

Arsenal, Chelsea, Porto, Paris Saint-Germain, Inter de Milão e Tottenham completam a lista dos clubes que ainda têm mais de cinco jogadores entre as seleções que superaram a fase de grupos.

Leia tudo sobre: barcelonareal madridmanchester unitedjogadorescopa do mundooitavasfinais