Sucesso do Mundial e os caminhos até o título

iG Minas Gerais |

Terminada a primeira fase, o saldo da Copa é positivo dentro e fora das quatro linhas, mas de acordo com o previsto. Sabia-se de antemão que, com tantos craques, o nível técnico dos jogos seria da melhor qualidade. A quantidade de gols e a audácia de seleções pouco expressivas no cenário internacional é que surpreenderam. Ao contrário das previsões, entre as da prateleira de baixo, Costa Rica foi a sensação; Bélgica e Suíça, mais cotadas, jogaram futebol comum até agora. Entre as da prateleira de cima, Holanda e França superaram as expectativas e estão no páreo. Espanha e Itália, as grandes decepções. Nem os ingleses tinham convicções plenas do sucesso da seleção deles. No chaveamento dos mata-mata, em nossa disputa doméstica, caso Brasil e Argentina passem das oitavas e quartas de final, os argentinos terão, aparentemente, apenas uma grande pedreira para chegar à final: Holanda. O Brasil, terá a França, a Alemanha e, obviamente, o Uruguai, que nunca pode ser desprezado. Mesmo sem Luis Suárez, vítima de um exagero absurdo da Fifa que agiu como o Tribunal da Inquisição nesse caso: nove jogos, multa e mais quatro meses de suspensão!

Antipatia O que mais espanta nessa punição da Fifa é que o jogador uruguaio não tem direito a recurso! Até os regimes ditatoriais mundo afora sempre têm um tribunal de apelação; nem que seja de fachada. A Fifa não! Mais um arranhão na já ruim imagem da entidade. Uma vergonha, que desfalca seriamente a Celeste, mas, por outro lado, injeta mais raça nas veias do time comandado por Oscar Tabárez.

Direitos Camarões só viajou ao Brasil depois que os jogadores receberam os salários atrasados da federação deles. Na véspera do jogo contra Portugal, foi a vez de Gana ameaçar não entrar em campo caso os dirigentes não pagassem o prêmio prometido pela classificação para a Copa. Um jato particular saiu do continente africano com o dinheiro e a grana foi entregue. Muita chance de acusarem os jogadores de mercenários. Discordo!

Grande chance Se federações e confederações da América do Sul são ocupadas em sua maioria por verdadeiros sindicatos de ladrões, imaginem o que ocorre na África! Aqui, jogadores abrem o bico, denunciam, acionam a Justiça e acabam recebendo o que têm direito. Lá, correm o risco de morrer. A única chance que têm de receber o dinheiro deles é agindo dessa forma, já que os cartolas e políticos sempre ficam com a grana.

Futebol e política O empate entre Rússia e Argélia, que classificou os argelinos, teve algumas peculiaridades. A colônia ucraniana no Paraná protestou contra a anexação da Crimeia pela Rússia e ganhou o apoio da maioria da torcida presente na Arena da Baixada. Quando abriu o placar, o russo Kokarin fez gestos mandando os torcedores calarem a boca. Dançou! O goleiro russo voltou a falhar e foi decisivo na eliminação do time.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave