Asfalto novo e limpeza só onde craques irão passar

iG Minas Gerais | Ana Paula Pedrosa |

Padrão Fifa. Em frente ao Sesc Venda Nova, asfalto novinho em folha, capina em dia e meio-fio pintado de branco
DENILTON DIAS / O TEMPO
Padrão Fifa. Em frente ao Sesc Venda Nova, asfalto novinho em folha, capina em dia e meio-fio pintado de branco

A rua José Félix Martins, na altura da entrada do Sesc Venda Nova, está toda pronta: asfalto novo, meios-fios pintados de branco e limpeza impecável. Nessa quinta, no início da noite, a Fifa chegou a informar que o treino da seleção seria transferido do Sesc Venda Nova para a Arena Independência, mas voltou atrás e confirmou o Sesc como o local de treinamento, que será às 13h.

Mas da preparação impecável no quarteirão do bairro Letícia por onde Neymar e companhia vão passar, sobra a indignação dos moradores, que reivindicam obras também no restante da rua e em outros pontos da região. A renovação do visual da via vai apenas até a curva que encerra o quarteirão do Sesc. Dali para a frente, os meios-fios voltam a ter cor de cimento, o mato começa a crescer nos cantos, e o asfalto tem muitas trincas e irregularidades. “Teve muita reclamação quando fizeram essa obra, porque, lá na frente, a rua está toda esburacada”, diz o aposentado Albertino Félix Nicácio, que mora bem na curva que divide a rua que deve sair bem na foto da seleção e o trecho esquecido pela prefeitura. “Certo isso não é. Só melhorou um pedaço da rua, e nem era o pior. Aqui no bairro, está cheio de ruas piores”, diz o pintor Milton de Moura, que também é vizinho do Sesc.

“Reformaram esse pedaço todo, mas é só uma roupa nova para ir à missa”, define o empresário William José Moreira, sócio da Madeiras Santa Lúcia, que fica bem em frente à porta por onde a seleção vai passar. Segundo ele, normalmente a rua é varrida uma vez por semana, mas, na expectativa de receber a seleção, a limpeza passou a ser realizada diariamente.

Sem explicação. A Sudecap, órgão da prefeitura responsável pelo recapeamento das vias, foi procurada pela reportagem, mas não informou qual o critério utilizado para definir o trecho que recebeu as melhorias nem qual o valor da obra. O órgão também não respondeu se o asfalto novo na porta do Sesc tem relação com o treino que a seleção realizará no local.

Fãs sonham em ver os craques A cogitada mudança de última hora do local de treinamento da seleção quase deixou frustrada gente como Heliza Helena Gomes, proprietária de um salão de beleza quase em frente ao Sesc. Com as unhas pintadas nas cores da seleção e as gominhas do aparelho de dentes alternando o verde e o amarelo, ela sonha com a remota oportunidade de ver Neymar e Hulk. “No ano passado (na Copa das Confederações), eles vieram com os vidros do ônibus fechados. Mas, se tivesse jeito, eu queria ver”, disse. As meninas Marcela Zoglio, 11, e Júlia Caldeira, 8, também querem ver os ídolos. Elas até planejaram fazer cartazes para chamar a atenção dos jogadores. A estratégia foi usada pela mãe de Júlia, Carla Caldeira, na Copa das Confederações. “Eu fiz um cartaz para o Fred, que está guardado até hoje. Queria muito ver a seleção treinar”, disse. Regras. O Brasil é o time A do confronto e, pelas regras da Fifa, vai treinar no Sesc Venda Nova, enquanto o Chile, que é o time B, segue sua rotina na Toca II. Os locais já estavam definidos antes de os times classificados serem conhecidos. A Arena Independência ficou livre para o Brasil treinar e a transferência do treino para o Horto chegou a ser informada pela Fifa, mas cancelada no fim da noite dessa quinta.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave