PSB vai com Tarcísio Delgado

Depois de muita discussão, o partido do presidenciável Eduardo Campos terá palanque em Minas

iG Minas Gerais | Guilherme Reis |

Comissão. Representantes do PSB de Minas se reuniram e descartaram a possibilidade de apoiar o candidato do PSDB ao governo
GUSTAVO BAXTER / O TEMPO
Comissão. Representantes do PSB de Minas se reuniram e descartaram a possibilidade de apoiar o candidato do PSDB ao governo

Em meio a divergências entre os que queriam a candidatura própria e a coligação com o PSDB, prevaleceu a vontade da executiva nacional do PSB, que é lançar um nome da legenda para concorrer ao governo do Estado e dar palanque ao presidenciável Eduardo Campos. E contrariando prognósticos, o escolhido foi o ex-deputado federal e ex-prefeito de Juiz de Fora Tarcísio Delgado, pai do presidente da legenda em Minas, Júlio Delgado.  

A comissão interna do PSB mineiro, montada a pedido da executiva nacional para, enfim, definir o futuro da legenda, votou e aprovou, nessa quinta, na sede estadual do partido, em Belo Horizonte, o nome de Tarcísio Delgado ao governo do Estado por dez votos a sete. Formaram o conselho nove membros da executiva estadual, um representante dos candidatos a deputado estadual, um representante dos postulantes à Câmara Federal, o presidente do Atlético Alexandre Kalil e quatro conselheiros setoriais da sigla.

O presidente do PSB de Minas, Júlio Delgado, que era o favorito para assumir a condição de candidato ao governo, explicou que suas obrigações em Brasília o afastaram da missão. “Continuo como relator do caso de André Vargas na Comissão de Ética e sou membro da CPMI da Petrobras, que deverá se desenrolar em julho e agosto. Mas Tarcísio tem experiência como prefeito de Juiz de Fora e como deputado estadual e federal. É um homem honrado que tem apoio de Eduardo Campos, Marina Silva e da executiva nacional. Ele representa a proposta de mudança na política”, ressaltou.

O socialista também explicou que, a partir de agora, sua legenda vai tentar fazer uma composição com os partidos que ainda não definiram seus rumos eleitorais, como o PHS, que deve ter candidatura própria ao governo de Minas, com o empresário Vittorio Medioli, e o PPL.

Mas nem bem nasceu a chapa socialista e ela já tem dissidência interna, uma vez que boa parte dos candidatos a deputado federal e estadual preferia a coligação com o PSDB para ter mais possibilidades de ter bancadas fortes. O PSDB chegou a oferecer uma composição com PV, PDT e SDD para a corrida à Assembleia e com PDT, PV, PTB, PMN e PPS para a disputa à Câmara. “Dissidências são normais, mas vamos ter apoio de gente insatisfeita com o PT e com o PSDB”, disse.

Nessa quinta, a Rede divulgou nota oficial explicando que “tão logo a Rede obtenha seu registro na Justiça, seus militantes vinculados ao PSB poderão se transferir para a legenda de origem sem o risco de sanção”.

Entenda

Sinal. No último sábado, na convenção estadual do PSB mineiro, em Belo Horizonte, Tarcísio Delgado discursou em favor da candidatura própria dos socialistas para o Palácio Tiradentes.

Alexandre Kalil não vai às urnas O presidente do Atlético Mineiro, Alexandre Kalil (PSB), demonstrou insatisfação com a escolha de Tarcísio Delgado e retirou sua candidatura a deputado federal. “Em 24 horas me falaram de 16 decisões diferentes. Estou até tonto. Vou manter o compromisso que sempre tive. Vou subir no palanque para o meu candidato ao Senado Antonio Anastasia, mais ninguém”, disse. “Fui presidente do conselho do Galo, estou acostumado com derrotas e vitórias”, concluiu.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave