Maior mineroduto do mundo está à venda pela Anglo

Empresa sueca já estaria interessada no projeto Minas-Rio

iG Minas Gerais | Ana Paula Pedrosa / Queila Ariadne |

Destruição. Área rural de Nova Era, em Minas, teve várias nascentes de água destruídas pelos dutos
MARIELA GUIMARAES / O TEMPO
Destruição. Área rural de Nova Era, em Minas, teve várias nascentes de água destruídas pelos dutos

O Minas-Rio, maior mineroduto do mundo, está à venda e, segundo rumores, já teria uma interessada: a gigante sueca LKAB. A Anglo American, responsável pelo complexo que vai da mina, em Conceição do Mato Dentro (MG), ao porto de Açu, em São João da Barra (RJ), confirma e diz que, continuamente, avalia oportunidades que possam criar valor para seus acionistas, o que pode incluir, em algum momento, parcerias com o Projeto Minas-Rio.

O interesse em vender parte do projeto não é novidade. Mas os rumores agora é de que a empresa está considerando a venda integral do projeto.

Em setembro do ano passado, durante o 15º Congresso Brasileiro de Mineração, em Belo Horizonte, o presidente mundial da Anglo, Mark Cutifani, confirmou que a empresa estava em busca de um sócio. Na ocasião, ele afirmou que a companhia estava feliz com o projeto e não tinha pressa em encontrar um parceiro, mas estava aberta a conversar, caso alguém quisesse agregar valor ao empreendimento.

A busca não será fácil. O investimento, que começou com a compra do projeto Minas-Rio das mãos de Eike Batista, por US$ 5 bilhões, em 2008, já ficou 76% mais caro e está na casa dos US$ 8,8 bilhões. O aumento dos gastos previstos e a rentabilidade menor do que a esperada provocou uma crise na Anglo. Em 2012, a então CEO da mineradora, Cynthia Carrol, pediu demissão.

Além do orçamento maior, a empresa e o novo sócio terão que administrar um rastro de insatisfação provocado ao longo dos 525 km do mineroduto, ao longo do qual moradores de pelo menos 32 cidades denunciam problemas sociais e danos ambientais causados pela obra.

A previsão era fazer o primeiro embarque de minério para o exterior em dezembro de 2013. Mas a data foi remarcada para o fim de 2014. Atualmente, a Anglo aguarda a conversão das atuais Licenças de Instalação (LI) para Licenças de Operação (LO). A mineradora, que tinha protocolado o pedido de LO no Ibama em 30 de janeiro deste ano, decidiu, em abril, renovar a LI.

Entenda

2007:MMX e Anglo firmam uma sociedade para a construção do maior mineroduto do mundo

2008:Eike Batista vende a sua participação para a Anlo, por US$ 5,5 bilhões

2012: Muitos problemas sociais e ambientais atrasam o projeto. Pressionada, a CEO da Anglo pede demissão

2014: o projeto, que inclui mina, mineroduto e porto, está cerca de 90% pronto, com o primeiro embarque previsto para fim de 2014

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave