Mordida e atos sem pensar estão ligados a problema psíquico

Homens usam mais a violência do que as mulheres quando estão descontrolados

iG Minas Gerais | Andréa Juste |

Polêmica. Luis Suárez mordeu o jogador italiano Chiellini na partida de terça-feira
Ricardo Mazalan/ap - 24.6.2014
Polêmica. Luis Suárez mordeu o jogador italiano Chiellini na partida de terça-feira

As redes sociais estão pipocando de brincadeiras que até transformam um ato de brutalidade em um “beijinho no ombro”. Mas o fato é que a mordida no jogador italiano Chiellini custou ao uruguaio Luis Suárez a sua expulsão da Copa do Mundo e quatro meses banido do futebol.  

O atacante sul-americano é o exemplo mais recente de como a impulsividade de um transtorno de conduta agressiva gera inúmeros prejuízos à vida de seus portadores. “Existe alguma frustração por trás disso (um ato impulsivo)”, explica o psiquiatra Diogo Lara, professor da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS).

No caso de Suárez, o especialista exemplifica com “o fato de ele ter perdido duas bolas”, no jogo da última terça-feira, e com a reincidência, lembrando que o jogador carrega ao menos outros dois casos de mordida no currículo.

“(A atitude impulsiva) é algo recorrente, e ele (o portador) não consegue se conter”, analisa Lara. Eledestac que o transtorno é mais comum entre os homens. “Os homens não são mais irritados que as mulheres, mas eles exercem a irritabilidade de maneira física, enquanto as mulheres, de forma verbal”, diz.

Em um comportamento impulsivo, o portador não mede as consequências. E, no caso do futebol, Lara destaca a atitude dos atacantes. “Há casos como o do (ex-atacante) Edmundo, por exemplo, em que há a questão da violência envolvida, por não tolerar a frustração. Geralmente, atacantes têm mais disso, são os que mais se exibem, como no corte de cabelo”, afirma.

Para Lara, o futebol tem papel simbólico da guerra entre países. “É jogar os instintos agressivos da nossa tribo contra a do outro. Com o futebol, não parte para briga, mas há a descarga da agressividade”, comenta.

Para tratar a conduta agressiva, o paciente pode ser submetido a sessões de terapia e também fazer uso de medicamentos que controlam a impulsividade. “O problema é que as pessoas mais agressivas tendem a ser mais arrogantes, então renegam esses problemas”.

Infantil. Para Lara, a mordida tem uma visibilidade muito peculiar. Entretanto, não é possível atestar que o comportamento de Suárez foi infantil, uma vez que a impulsividade atinge pessoas maduras, segundo o psiquiatra Maurício Viotti, professor da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

O especialista destaca que o transtorno teria origem biológicas, como a redução da serotonina (neurotransmissor que atua no humor). “Há também teorias que falam que é uma questão de hábitos aprendidos, ou desaprendidos”, diz.

Site faz teste de temperamento Se você tem curiosidade para saber se pode desenvolver distúrbios psicológicos, o site www.temperamento.com.br disponibiliza um questionário que busca avaliar sintomas e transtornos psiquiátricos que o internauta pode vir a ter, com base no temperamento. O modelo foi desenvolvido pelo grupo coordenado pelo psiquiatra Diogo Lara, professor da PUC-RS, em uma pesquisa intitulada “Temperamento Afetivo e Emocional”. O teste é constituído de duas partes, uma psicológica e outra psiquiátrica. O interessado precisa fazer um cadastro no site e completar várias escalas e questionários de forma anônima. A única identificação a ser fornecida por razões de segurança é o seu endereço eletrônico (e-mail), que nunca será divulgado, segundo informa o próprio site.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave