Isolada no hotel, seleção muda a rotina dos funcionários

Camareiras e maleiros recebem pulseiras de identificação devolvidas ao final do dia e não podem conceder entrevistas

iG Minas Gerais | Thiago Nogueira |

Chegada da seleção brasileira ao hotel em BH
Chegada da seleção brasileira ao hotel em BH

No hotel Ouro Minas, que hospeda a seleção brasileira para a partida contra o Chile, atletas e comissão técnica estão isolados dos hóspedes normais. Camareiras, maleiros e demais funcionários escalados para atender a delegação precisam utilizar pulseiras de identificação, que são devolvidas no fim do dia de expediente. Eles estão instruídos a não dar entrevistas.

O hotel, considerado o mais luxuoso da capital, também hospeda os profissionais mais gabaritados da TV Globo, como o narradores Galvão Bueno e o comentarista Casagrande. No ano passado, o técnico Felipão chegou a descer para o saguão principal do hotel e teve um papo informal com os jornalistas.

O Ouro Minas foi credenciado pela Fifa para receber as seleções do lado A da tabela de jogos. Já se hospedaram no estabelecimento os times da Colômbia, Bélgica e Costa Rica. Apenas a Argentina preferiu ficar na Cidade do Galo, onde é seu centro de treinamento para a competição.

Exatamente um ano depois, a seleção brasileira está de volta a Belo Horizonte. Em 2013, o Brasil também passou por Minas na vitoriosa campanha do título da Copa das Confederações. O triunfo sobre o Uruguai por 2 a 1 manteve o retrospecto positivo da seleção no Mineirão. Em 22 partidas, são 16 vitórias, quatro empates e apenas duas derrotas

Leia tudo sobre: seleçãohotelCopa do Mundo 2014