Parque ecológico é atingido por incêndio

Segundo bombeiros, fogo destruiu aproximadamente 5.000 metros quadrados de mata mista do local

iG Minas Gerais | Dayse Resende |

Trabalho. 
As chamas foram controladas na noite de quinta (26)
FOTO: MOISES SILVA / OTEMPO
Trabalho. As chamas foram controladas na noite de quinta (26)

 

Um incêndio atingiu o Parque Ecológico Felisberto Neves, localizado entre os bairros Ingá e Jardim Brasília, na região Central da cidade, na tarde de quinta-feira (26). O fogo só foi controlado por volta das 18h, pelos bombeiros do 2º Batalhão. No local, funciona a sede da Polícia Militar Ambiental. Segundo o sargento Evandro Lima, o incêndio destruiu cerca de 5.000 metros quadrados de mata mista existente no parque, deixando moradores da região em alerta.    A suspeita do militar é que o fogo tenha sido provocado por uma guimba de cigarro, já que o parque fica localizado na avenida Edmeia Mattos Lazzarotti, um dos principais corredores da cidade. “A vegetação está muito alta, principalmente na beira da via. Isso pode ter contribuído para que o fogo tenha se alastrado com rapidez e adentrado a mata”, disse Lima.   Para controlar as chamas foram usados 5.000 litros de água da viatura, além de abafadores. Vale lembrar que a área do Parque Ecológico Felisberto Neves foi desapropriada em 2003 para se tornar uma reserva ecológica.    Através de nota, a assessoria de imprensa da prefeitura informou que só irá se pronunciar sobre o referido incêndio depois da conclusão de um laudo técnico que será feito por fiscais da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável.    Ainda segundo a nota, na quinta-feira (26) à noite, fiscais estavam no local atingido fazendo uma varredura em todo o espaço para estudar as causas e as proporções exatas do incêndio.   Abandono No fim de 2013, O Tempo Betim publicou uma matéria que revelava o abandono dos parques ecológicos do município. A situação mais crítica era a do Parque Ecológico Edmeia Braga, conhecido como Matinha do Ingá. Lá, os banheiros, os restaurantes e os vestiários foram flagrados completamente pichados e depredados, além de haver restos de comida no chão, roupas e até camisinhas. Situação parecida era a do Parque Ecológico Alto das Flores. Lá, até os sanitários dos banheiros foram arrancados pelos marginais. Além disso, o restaurante estava depredado e faltava capina. As quadras usadas para a prática de esportes também não eram cobertas.   No Chico Mendes, localizado no bairro Jardim Perla, a situação só não era pior porque lideranças da região monitoravam o local voluntariamente. Mesmo assim, havia muito lixo espalhado pelo parque, e alguns espaços estavam pichados.   Na época, os parques Batismal Ecológico Pastor José Alexandre Haméz e Felisberto Neves estavam regularizados.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave