Argentina descarta ter excessiva dependência de Messi

Hermanos afirmam que ter um craque do gabarito de Lionel na equipe é algo a ser explorado

iG Minas Gerais | FOLHAPRESS |

Messi comemora gol da Argentina contra a Nigéria, em Porto Alegre
Michael Sohn/Associated Press
Messi comemora gol da Argentina contra a Nigéria, em Porto Alegre

A Argentina fez seis gols na primeira fase do Mundial. Quatro deles foram de Lionel Messi. O único outro argentino que marcou foi o lateral Marcos Rojo. Na vitória por 2 a 1 sobre a Bósnia, o primeiro gol foi contra, após cobrança de falta de... Lionel Messi.

Apesar dos números, os demais jogadores descartam que exista excessiva dependência do camisa 10 e capitão da equipe.

"Você tem de desfrutar de um jogador como Leo [Messi]. Não sei se é dependência. É o melhor do mundo, e temos de aproveitar em todos os sentidos", afirmou o volante Fernando Gago.

A seleção chegou para a Copa do Mundo com setor ofensivo chamado de "quarteto fantástico". À exceção de Messi, os demais estão decepcionando. Higuaín começou no banco contra a Bósnia. Aguero teve três partidas ruins e se lesionou diante da Nigéria. Di María ainda não justificou toda a expectativa criada.

"Os outros criam espaços, e Leo aproveita. É normal que, quando você tenha um jogador como Messi na equipe, exista uma certa dependência. Temos apenas de tratar para que não seja algo excessivo", opinou o técnico Alejandro Sabella.

A tendência é que a marcação sobre o principal jogador argentino fique cada vez mais forte com o passar das partidas. Algo que o próprio elenco reconhece ser possível. A consequência disso é aparição de espaços para os outros jogadores.

"A Suíça, por exemplo, é uma equipe com bons jogadores, que sabem jogar. Vão marcar forte, mas não ficarão presos na defesa o tempo todo. Teremos mais chances", acredita o meia reserva Ricky Álvarez, se referindo ao adversário nas oitavas de final.

Leia tudo sobre: ArgentinaMessiCopa do Mundo