Brasileiros naturalizados vão mal e são eliminados da Copa

Diego Costa, Thiago Motta, Sammir, Eduardo e Pepe já foram eliminados do Mundial

iG Minas Gerais | FOLHAPRESS |

Atacante hispano-brasileiro é um dos naturalizados eliminados
Reprodução/Facebook
Atacante hispano-brasileiro é um dos naturalizados eliminados

A eliminação de Portugal nesta quinta-feira (26) significou também a saída do zagueiro Pepe, último jogador brasileiro naturalizado por outro país que ainda tinha chances de passar para a próxima fase da Copa do Mundo.

O time de Cristiano Ronaldo até ganhou de Gana por 2 a 1, empatando no número de pontos com a seleção dos EUA, mas acabou eliminado por conta do saldo de gols.

Com isso, está fora o 5º brasileiro naturalizado da Copa. Além de Pepe, jogaram o torneio por outros países Diego Costa, da Espanha, Thiago Motta, da Itália, e Sammir e Eduardo, da Croácia.

Como Portugal, suas seleções fizeram campanhas decepcionantes. A Espanha, atual campeão do mundo, perdeu os dois primeiros jogos para Holanda e Chile e foi logo eliminada; a Itália, campeã em 2006, perdeu para o Uruguai na decisão da vaga e também caiu. Já a Cróacia, com elenco de estrelas como Modric e Rakitic, foi derrotada pelo México no número de pontos na última rodada e voltou para casa.

SEM BRILHO

Os brasileiros naturalizados contribuíram pouco para as campanhas dos países que os adotaram. Pepe foi expulso em seu primeiro jogo, contra a Alemanha, após dar uma cabeçada no atacante Thomas Muller. Suspenso e multado pela agressão, ainda desfalcou o time contra Gana.

Destaque na ótima campanha do Atlético de Madri na última temporada, o atacante Diego Costa não pareceu não ter tido tempo suficiente para se adaptar ao estilo de jogo espanhol -sua primeira convocação para a seleção foi em março deste ano. Na Copa, jogou as duas primeiras partidas e não conseguiu ser decisivo. Acabou indo para o banco no jogo contra a Austrália, que só valia para cumprir tabela.

O volante Thiago Motta, reserva, entrou nos três jogos da Azzurra, mas não se destacou. Conhecido pela marcação forte, ele roubou a bola apenas três vezes nos 94 minutos que esteve em campo, segundo dados da Fifa.

O veterano atacante Eduardo, na seleção croata desde 2004, jogou apenas 21 minutos, na vitória sobre Camarões por 4 a 0, mas não marcou. Seu companheiro Sammir, meio-campista, jogou mais -72 minutos- no mesmo jogo, mas tampouco fez gols ou teve participação importante.

Leia tudo sobre: Copa do Mundofutebolesportenaturalizadosbrasileiros