Emprego formal alcança 75% dos trabalhadores, segundo cálculo do BC

A fórmula proposta pelo BC inclui patrões, militares, funcionários públicos, autônomos e trabalhadores sem carteira que contribuem para a Previdência

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

O Banco Central propôs uma forma alternativa de se medir a formalização do mercado de trabalho. A proposta da instituição é colocar na conta pessoas que não têm carteira assinada, mas que contribuem para a Previdência. Por essa metodologia, o emprego formal representava 75% do mercado de trabalho em abril de 2014.

Pelo critério oficial do governo, que é possuir registro em carteira, são considerados formais 55% dos trabalhadores.

A fórmula proposta pelo BC inclui patrões, militares, funcionários públicos, autônomos e trabalhadores sem carteira que contribuem para a Previdência.

Segundo a instituição, a diferença entre as duas formas de cálculo aumentou desde 2003. Naquele ano, o emprego com carteira assinada correspondia a pouco mais de 45% da população ocupada. Pela metodologia alternativa usada pelo BC, o grau de formalização era de 61% na época.

O trabalho do BC faz parte do Relatório Trimestral de Inflação divulgado nesta quinta-feira (26) e tem como objetivo, segundo a instituição, propor uma avaliação alternativa e mais abrangente desse indicador.

Dados do Ministério do Trabalho divulgados na terça-feira (24) mostraram que o saldo de contratações com carteira assinada foi de 58,8 mil vagas em maio, o pior resultado para o mês desde 1992. O ministério atribuiu o resultado fraco ao pessimismo do empresariado em relação à Copa do Mundo e ao consumo.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave