Com câncer, Plínio de Arruda Sampaio está internado há um mês em SP

"Ele está muito mal, mas lutando como um leão, assim como sempre lutou", disse o filho do psolista; ele foi candidato a presidente em 2010

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

EUCLIDES OLTRAMARI JR /AE-6.8.2010
undefined

O ex-deputado federal Plínio de Arruda Sampaio, 83, está internado para tratamento de um câncer no osso há ao menos um mês no hospital Sírio-Libanês de São Paulo.

De acordo com Francisco de Azevedo Arruda Sampaio, 58, filho do político, a descoberta do câncer em uma vértebra torácica aconteceu após seu pai se queixar de fortes dores na coluna. No momento, ele está na UTI (Unidade de Tratamento Intensivo).

"Ele está muito mal, mas lutando como um leão, assim como sempre lutou", disse Francisco por telefone na área de espera da UTI. "No aniversário de 50 anos do golpe militar de 1964 ele parecia muito bem, deu várias entrevistas, e aí descobrimos isso".

Ainda de acordo com Francisco, o mais velho dentre os seis filhos, Plínio tem recebido visitas de familiares, mas está muito "baqueado". Pediu para que o filho trouxesse um livro que está terminando de traduzir.

"O livro fala sobre a história da humanidade do ponto de vista do povo. Ele queria muito terminar essa tradução, mas por conta das dores não conseguiu achar posição na cama para escrever", disse Francisco. Em 2001, Plínio teve um câncer no estômago, do qual se recuperou, mas perdeu muitos quilos e desde então tem pesado por volta de 51 kg. Daqui um mês, em 26 de julho, completa 84 anos.

Candidato do PSOL derrotado nas eleições para presidente de 2010, recebeu 886 mil votos, 0,87% do total, Plínio não está concorrendo nas eleições de outubro.

"Já cumpri o que eu tinha que cumprir", disse o político em entrevista em março à Folha de S.Paulo. "E seria muito ruim ir para Brasília e deixar a Marietta sozinha aqui em São Paulo", citando a companheira há 60 anos.

Procurada para explicar a gravidade da doença de Plínio, a assessoria de imprensa do hospital Sírio Libanês disse que pedirá autorização para o setor médico para a elaboração de um boletim a ser encaminhado à reportagem.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave