'Nunca critiquei a organização da Copa', diz Ronaldo

Ex-jogador afirmou que 'vergonha' teria sido apenas a obras de mobilidade urbana não entregues no prazo prometido

iG Minas Gerais | FOLHAPRESS |

Com 15 gols, Ronaldo é o maior artilheiro de todas as edições do Mundial
Thiago Nogueira
Com 15 gols, Ronaldo é o maior artilheiro de todas as edições do Mundial

Um mês depois de se dizer "envergonhado" com os atrasos na Copa do Mundo, o ex-atacante Ronaldo disse nesta quinta-feira (26) que nunca criticou a organização do torneio.

Em entrevista coletiva organizada pela Fifa e pelo COL (Comitê Organizador Local), o antigo camisa 9 da seleção brasileira disse que suas críticas anteriores estavam dirigidas apenas a obras de mobilidade urbana.

"Não critiquei a organização da Copa, até porque eu faço parte dela. Disse que poderia ser muito melhor se todas as obras, de mobilidade urbana, tivessem sido entregues. A minha crítica foi naquele momento sobre as obras que foram prometidas e não entregues".

Depois de declarar apoio à candidatura de Aécio Neves (PSDB) à Presidência, Ronaldo, que é membro do COL, passou a atacar constantemente o governo Dilma em relação ao Mundial.

"E de repente chega aqui é essa burocracia toda, uma confusão, um disse me disse, são os atrasos. É uma pena. Eu me sinto envergonhado, porque é o meu país, o país que eu amo, e a gente não podia estar passando essa imagem para fora", disse o ex-jogador, à Reuters, no dia 23 de maio.

Com a Copa já em andamento, Ronaldo disse nesta quinta ter ficado surpreso com a forma como a população brasileira acabou recebendo a Copa. O bicampeão mundial (em 1994, como reserva, e 2002, como astro) afirmou que esperava mais críticas e manifestações contra o torneio.

"A população mais uma vez nos surpreendeu positivamente. Vivíamos um clima muito tenso, com a população muito descontente. Começou a Copa, e agora estamos vivendo um sonho. Nenhum de nós pensava que poderia ter esse clima tão amistoso".

Leia tudo sobre: ronaldocríticascopa do mundofifacolmobilidade urbanaobrasbrasileirosprotestosmanifestação