Jogadas antidesportivas não são raras na história dos Mundiais

Atletas como Maradona, Tassotti, Leonardo e Zidane já tiveram seu momento de "vilão"

iG Minas Gerais | ANTÔNIO ANDERSON |

undefined

A punição de nove jogos anunciada nesta quinta-feira pela Fifa ao atacante uruguaio Luis Suárez , que mordeu o ombro do italiano Chiellini, está longe de ser a primeira na história das Copas do Mundo. Em edições anteriores da competição, muitos atletas também não observaram o far play e acabaram punidos por seus atos de indisciplina.

Alguns exemplos que podem ser citados são o atacante Maradona, na Copa de 1982, contra o Brasil. Ele deu uma “voadora” na barriga do meio-campista Batista e recebeu o cartão vermelho. Em 1994, nos Estados Unidos, o lateral-esquerdo Leonardo proferiu uma cotovelada no rosto do zagueiro americano Tab Ramos e também foi expulso.

Nesta mesma edição da Copa, o meia Luis Enrique, da seleção espanhola, quebrou o nariz depois de levar uma cotovelada do lateral-direito Mauro Tassotti, da Itália. O árbitro da partida não viu o lance, mas pela primeira vez em sua história a Fifa recorreu a imagens gravadas e acabou punindo o italiano com oito jogos de suspensão.

O meio-campista francês Zinédine Zidane também foi protagonista de lances de violência em duas Copas. Na primeira, em 1998, a França venceu a Arábia Saudita por 4 a 0, mas ele foi expulso após pisar em um adversário. Em 2006, o desafeto mais emblemático. Na decisão do título contra a Itália, Zidane foi suspenso por três jogos depois de dar uma cabeçada em Marco Materazzi.