Sem mudança na segurança, autoridades querem 'espalhar' torcedores

No balanço de Belo Horizonte na primeira fase da Copa do Mundo, alteração proposta é no número de locais para assistir aos jogos; ideia é desconcentrar contingente de pessoas na Savassi

iG Minas Gerais | BERNARDO MIRANDA |

Sem reforço no esquema de segurança e com eventos espalhados pela cidade para evitar a concentração de torcedores em um mesmo lugar. É assim que o governo do Estado e a Prefeitura de Belo Horizonte se preparam para receber o jogo entre Brasil X Chile, válido pelas oitavas de final da Copa do Mundo, neste sábado (28), no Mineirão.

Cerca de 30 mil chilenos devem chegar à capital mineira até sábado, a grande maioria sem ingressos. Essa será a partida com o maior número de brasileiros no estádio, 70 % de acordo com avaliação das autoridades municipais, o que deixaria apenas cerca de 17 mil lugares para estrangeiros. Em entrevista coletiva na manhã desta quinta-feira (26), o Secretário de Estado de Turismo e Esportes de Minas Gerais, Tiago Lacerda, disse que a cidade está preparada para receber um jogo desse porte, e que o esquema de segurança não precisará ser alterado para garantir a segurança, dentro e fora do estádio.

“À medida que fomos recebendo os jogos, melhoramos nossa atuação. Enfrentamos jogos em que o nível de exigência foi parecido com o que será sábado e tudo ocorreu bem. No jogo da Argentina, tivemos muito torcedores sem ingressos, como vai ocorrer com os chilenos e a segurança foi muito bem. A proteção do perímetro Fifa funcionou e o risco de uma invasão, como aconteceu no Maracanã, é mínimo. Com relação a ser um jogo do Brasil no Mineirão, um dos jogos que recebemos aqui foi antes de uma partida da seleção, e conseguimos garantir a segurança no estádio, e nos outros locais da cidade, onde os torcedores se reuniam para ver o jogo do Brasil, como FanFest e Savassi”, afirmou o secretário.

Para receber os chilenos, uma parceria foi firmada com o Mega Space, em Santa Luzia, na região metropolitana de Belo Horizonte. O local reservará vagas para o estacionamento de até mil motorhomes, ao preço de R$ 30 por pessoa. Além disso, a prefeitura oferecerá vagas gratuitas, em dois parques da cidade. Serão 100 vagas no parque Lagoa do Nado, na Pampulha, e 70 no Parque Ecológico da Pampulha.

Outros locais

Para evitar a concentração de torcedores em um mesmo lugar, como está ocorrendo na região da Savassi, outros espaços serão disponibilizados pela cidade. Somados, os pontos destinados pela Prefeitura terão capacidade de receber mais de 50 mil pessoas. São 20 mil pessoas na FanFest, no Expo Minas, 8 mil na Savassi, mesma capacidade na Praça JK, no Sion, e outras 15 mil no parque das Mangabeiras. Esse último é o único local onde a entrada não é gratuita, e haverá cobrança de R$70 por pessoa.

“Estamos diversificando a nossa programação para que não haja problemas de superlotação em lugar algum e estamos ainda reforçando a estrutura de alguns pontos, como a Savassi, que vai receber 180 banheiros químicos”, disse o secretário extraordinário para a Copa em Belo Horizonte, Camilo Fraga. 

Nessa primeira fase, cerca de 228 mil pessoas assistiram aos jogos da Copa no Mineirão e outras 140 mil passaram pela FanFest.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave