BH não terá reforço de segurança para jogo do Brasil

Governo do Estado e Prefeitura também vão espalhar eventos pela cidade para evitar a concentração de torcedores em um mesmo lugar

iG Minas Gerais | BERNARDO MIRANDA |

Sem reforço no esquema de segurança e com eventos espalhados pela cidade para evitar a concentração de torcedores em um mesmo lugar. É assim que o governo do Estado e a Prefeitura de Belo Horizonte se preparam para receber o jogo entre Brasil X Chile, válido pelas oitavas de final da Copa do Mundo, no próximo sábado no Mineirão.

Cerca de 30 mil chilenos devem chegar a capital mineira, a grande maioria deles sem ingressos, já que essa será a partida com o maior número de brasileiros no estádio, 70 % de acordo com avaliação das autoridades da cidade.

Em entrevista coletiva na manhã de hoje, o Secretário de Estado de Turismo e Esportes de Minas Gerais, Tiago Lacerda, disse que a cidade está preparada para receber um jogo desse porte e que o esquema de segurança não precisará ser alterado para garantir a segurança dentro e fora do estádio.

“A medida que fomos recebendo os jogos, melhoramos nossa atuação. Enfrentamos jogos em que o nível de exigência foi parecido como será o de sábado e tudo ocorreu bem. No jogo da Argentina tivemos muito torcedores sem ingressos, como vai ocorrer com os chilenos e a segurança foi muito bem. A proteção do perímetro Fifa funcionou e o risco de uma invasão como aconteceu no Maracanã é mínima. Com relação a ser um jogo do Brasil no Mineirão,  um dos jogos que recebemos aqui foi antes de uma partida da seleção e conseguimos garantir a segurança no estádio e nos outros locais da cidade onde os torcedores se reuniam para ver o jogo do Brasil, como Fan Fest e Savassi”, afirmou o secretário.

Para receber os chilenos, uma parceria foi firmada com o Mega Space, em Santa Luzia, na região metropolitana de Belo Horizonte, onde haverá vagas para o estacionamento de até 1000 motorhomes, ao preço de R$30 por pessoa.  Além disso a prefeitura oferecerá vagas gratuitas, em dois parques da cidade. Serão 100 vagas no parque Lagoa do Nado, na Pampulha e 70 e no Parque Ecológico da Pampulha.

Para evitar a concentração de torcedores em um mesmo lugar, como está ocorrendo na Savassi, a prefeitura vai contar com espaços espalhados pela cidade que terão capacidade de receber mais de 50 mil pessoas. Serão  20 mil pessoas na Fan Fest, 8 mil na Savassi, 8 na Praça JK, no Sion e 15 mil no parque das Mangabeiras.

Esse último é o único local onde a entrada não é gratuita e haverá cobrança de R$70 por pessoa.  “Estamos diversificando a nossa programação para que não haja problemas de superlotação em algum local e estamos ainda reforçando a estrutura de alguns pontos, como a Savassi que vai receber 180 banheiros químicos”, disse o secretário extraordinário para a Copa em Belo Horizonte. 

Nessa primeira fase, cerca de 228 mil pessoas assistiram aos jogos da Copa no Mineirão e outros 140 mil passaram pela Fan Fest.

 

Leia tudo sobre: COPA DO MUNDO