Família é presa transportando 9,5 kg de cocaína da Bolívia para Betim

Condutor confessou ter comprado a droga por R$ 3.000 o quilo e que venderia a R$ 7.500 o quilo; suspeito já foi preso por trabsportar dinamites em ônibus

iG Minas Gerais | Da Redação |

Droga valia mais de R$ 35 mil, segundo motorista
Polícia Rodoviária Federal/Divulgação
Droga valia mais de R$ 35 mil, segundo motorista

Mais de 9 kg de cocaína e de pasta base da mesma droga, transportadas nos para-lamas traseiros de um carro, com placas de Mato Grosso, pela BR-262, em Bom Despacho, na região Centro-Oeste de Minas, foram apreendidas nessa quarta-feira (25), em um Gol Special, conduzido por um homem de 35 anos, que estava acompanhado de sua mulher, 36, e duas crianças, de 5 anos e outra de 6 meses. A droga valia mais de R$ 35 mil e seria vendida pelo dobro do preso, de acordo com o dono do material.

De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), abordados, os adultos entraram em contradição quanto ao motivo da viagem e demonstraram nervosismo. Diante da suspeita, foi realizada buscas no veículo, com ajuda de um cão farejador, que sinalizou a presença de drogas no interior do veículo, sobre o assoalho traseiro.

Os policiais encontraram aberturas veladas por massa plástica em ambos os para-lamas traseiros, que davam acesso a dois compartimentos de onde foram retirados 72 volumes, contendo 9,5 kg de cocaína.

O motorista confessou que comprou a droga em Santa Cruz de La Sierra, na Bolívia, pagando R$ 3.000 o quilo e que iria levar a droga para Betim, na região metropolitana de Belo Horizonte, onde venderia por R$ 7.500 o quilo. Alegou ainda que tratava-se de 4 kg de cocaína e que o resto (5,5kg) era de pasta base de cocaína.

Ao verificar a Certidão de Nascimento das crianças foi constatado que no momento da abordagem o condutor utilizou-se dos documentos de um irmão falecido para se apresentar. Ao ser questionado, ele informou que usou os dados do familiar para tirar a Carteira Nacional de Habilitação apresentada, caracterizando assim também o crime de falsidade ideológica.

Após consultas, os policiais ainda verificaram que o envolvido já foi preso pela PRF no Mato Grosso em 2005, transportando dinamite em um ônibus e pela Polícia Federal de Pernambuco em 2007, transportando 36,4 kg de cocaína em um veículo.

A família foi encaminhada para a Delegacia de Polícia Federal em Divinópolis. Atuação dos policiais aconteceu durante Operação Copa do Mundo.

Leia tudo sobre: cocaínafamíliatráfico de drogaspara-lamaspasta base