Nova febre, copos da Copa viram objeto de escambo entre cidades

É comum ver, após os duelos, torcedores irem embora com vários copos encaixados um sobre o outro, como se fosse uma grande taça

iG Minas Gerais | THIAGO NOGUEIRA |

Independentemente do estádio ou do jogo, os copos de refrigerante e cerveja vendidos nas partidas da Copa do Mundo – personalizados com data, cidade e confrontos – já viraram febre pelo Brasil. Pronto. Depois das figurinhas, o Mundial tem uma nova onda de coleção. Quem tem frequentado as arenas já deve ter notado. Quando a partida termina, é comum ver torcedores irem embora com vários copos encaixados um sobre o outro, como se fosse uma grande taça. A recordação, por sua vez, tem virado obstinação. Pela internet, muitos torcedores estão propondo “intercâmbios” entre as cidades-sede para tentar conseguir os 64 copos, um para cada partida da competição. O site especializado Mercado Livre já possui anúncios. “Sou do Rio e irei a todos os jogos daqui. Procuro pessoas que irão assistir aos jogos da Copa e que queira pegar os copos para trocarmos, preferencialmente, pessoas do Norte, Nordeste, Curitiba e Brasília”, propõe um colecionador. “Devido a tantas perguntas, propostas de troca, ando meio perdido”, disse um outro torcedor que, no momento, prioriza o escambo. Mas também há que queira vender o objeto. Por R$ 30, uma outra pessoa colocou à venda o copo do jogo entre Costa Rica e Inglaterra, no Mineirão. Na tabela de preço da Fifa, o refrigerante de 600 ml, que veem com o copo, é vendido nos estádios por R$ 8. Já a cerveja custa R$ 10 ou R$ 13, dependendo da marca. 

Leia tudo sobre: novafebrecoposcopa do mundotrocascidades