Presidente cede à pressão do PR e troca o chefe dos Transportes

iG Minas Gerais |

De volta. Paulo Sérgio Passos está de volta ao Ministério dos Transportes, de onde saíra em abril
Marcello Casal Jr./ABr - 12.7.2011
De volta. Paulo Sérgio Passos está de volta ao Ministério dos Transportes, de onde saíra em abril

Brasília. A presidente Dilma Rousseff nomeou ontem Paulo Sérgio Passos para a vaga deixada por César Borges no Ministério dos Transportes. Borges, por sua vez, segue para a Secretaria de Portos, que era ocupada por Antonio Henrique, que deve seguir na pasta como secretário executivo.  

A mudança faz parte de uma exigência do PR para apoiar a reeleição de Dilma. Se confirmado o apoio do PR, ela ganhará pouco mais de um minuto de televisão em seu horário eleitoral. A parceria com o PR começou ainda em 2002, quando o empresário José Alencar concorreu às eleições presidenciais como vice de Lula.

Ex-governador da Bahia, ex-senador e ex-vice-presidente do Banco do Brasil, César Borges assumiu em abril de 2013 o lugar de Paulo Sérgio Passos, que estava no cargo desde julho de 2011. Apesar de filiado ao PR, Borges era considerado uma escolha técnica da própria presidente, e não da legenda.

Paulo Sérgio Passos deixou a pasta pelos mesmos motivos que levaram a sigla a exigir a saída de Borges: não atender os interesses da legenda. A cúpula do PR prefere a volta de Passos: alega que Borges tem uma “vida autônoma” no ministério, não recebe parlamentares da bancada e não despacha com indicados da sigla que estão na pasta.

A pressão do PR e a troca de ministros foi criticada pela oposição. Em nota, o senador Aloysio Nunes (PSDB-SP) disse que a “faxina” feita pela presidente Dilma na pasta agora traz de volta os “que haviam sido excluídos com estardalhaço”.

Vaias

Culpa. Após pregar que os xingamentos à Dilma foram propagados pela “elite branca”, o ex-presidente Lula admitiu ontem que o governo “tenha culpa” por não ter “cuidado com carinho” da população.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave