‘Suguem lá e venham para cá’

Aécio rebate Dilma sobre ‘acordos por conveniência’ e diz que mais aliados do Planalto vão debandar

iG Minas Gerais |

Passado. Pedido de Aécio para que Serra dispute Senado enterra hipótese de ex-governador ser vice
Jane de Araujo
Passado. Pedido de Aécio para que Serra dispute Senado enterra hipótese de ex-governador ser vice

São Paulo. Candidato do PSDB à Presidência, o senador Aécio Neves (MG) rebateu nessa quarta críticas da presidente Dilma Rousseff aos políticos que entram em acordos por “conveniências” e não por “convicções”. Aécio disse que Dilma vem conquistando tempo de TV de partidos aliados, mas vai perder o apoio da maioria ao longo da campanha com a adesão de governistas à sua candidatura.

“Muito mais gente já desembarcou e o governo ainda não percebeu. Vão sugar um pouco mais. E eu digo para eles: façam isso mesmo, suguem mais um pouquinho e depois venham para o nosso lado”, ironizou o tucano.

Aécio disse que o modelo adotado por Dilma nas negociações de alianças é um “acinte” aos brasileiros, especialmente depois que a presidente substituiu César Borges do Ministério dos Transportes para atender um pleito do PR “que não considera o ministro da cota da sigla”.

“A presidente Dilma se desdiz. Jogou pela janela o discurso que fez há quatro dias na convenção que referendou sua candidatura. Está deixando explícito que a sua nova fórmula para a mudança é essa, a pior de todas, é a mercantilização da política”, atacou.

Líderes do PSDB na Câmara e no Senado, Antônio Imbassahy (BA) e Aloysio Nunes (SP) divulgaram notas para também rebater as declarações de Dilma. Aloysio disse que a petista faz “campanha sob tutela de Lula” e sua fama de gestora foi “desmentida pela mediocridade” do seu governo.

“Dilma, nos últimos dias, raspou o tacho do fisiologismo para aplacar o apetite insatisfeito de aliados descontentes, prestes à defecção”, afirmou Nunes. Para Imbassahy, Dilma está “fazendo o diabo” para se reeleger.

Serra. No momento em que voltou a ganhar força no PSDB a indicação do nome do ex-governador de São Paulo José Serra para vice na chapa do senador mineiro Aécio Neves à Presidência da República, o presidenciável tucano se encontrou com Serra em São Paulo.

No encontro, ficou praticamente enterrada a questão da indicação de Serra para vice na chapa de Aécio, que pediu ao ex-governador que concorresse a uma vaga no Senado. Aécio já não era grande entusiasta da dobradinha com o ex-governador, mas ouvia os argumentos dos tucanos que apontavam a chapa como imbatível.

Possibilidades

Vices. O pré-candidato à Presidência da República Aécio Neves (PSDB-MG) trabalha com os nomes da ex-ministra e ex-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) Ellen Grace e do senador Aloysio Nunes Ferreira (SP) para a vaga de vice em sua chapa.

Improvável. O ex-senador Tasso Jereissati também é cotado, mas a tendência hoje é que saia ao Senado pelo Ceará.

Tendência. No partido, parece que a tendência aponta para Aloysio Nunes, que consolidaria o diretório paulista tucano em torno do projeto de Aécio.

Definição. Aécio deve anunciar seu candidato a vice-presidente na próxima segunda-feira, data-limite para as convenções partidárias.

Nordeste

Surpresa. Aécio afirmou que espera conseguir fechar novos acordos políticos no Nordeste. “Esperamos ter novidades no Nordeste nas próximas 48 horas”, disse, se referindo ao Ceará.

Eleição não é a mais difícil Brasília. O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, negou nessa quarta que a disputa eleitoral deste ano seja mais difícil para a presidente Dilma Rousseff do que a de 2010. “Quem fez um governo como o que ela está fazendo, com todas as características, tem grande chance de ganhar a eleição. Aliás, as pesquisas mostram que ela está vencendo no primeiro turno, e acho que isso deve se confirmar”.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave