Prefeitura avalia levar ônibus do Move até porta do Mineirão

Estudo irá apontar se é viável acesso dos ônibus à Abrahão Caram pelo viaduto José Alencar

iG Minas Gerais | Murilo Rocha |

Risco ao pedestre. Após reportagem de O TEMPO, prefeitura removeu obstáculos na Antônio Carlos
Lincon Zarbietti / O Tempo
Risco ao pedestre. Após reportagem de O TEMPO, prefeitura removeu obstáculos na Antônio Carlos

O desempenho considerado positivo do Move durante a Copa do Mundo – trajeto do centro ao Mineirão – poderá ser ainda melhorado após o torneio. A ideia da prefeitura é ampliar a cobertura do sistema e deixar o torcedor na porta do estádio.

Hoje, os ônibus saindo da avenida Paraná ou da avenida Santos Dumont deixam os usuários com destino ao Mineirão na estação UFMG, em frente ao portão da universidade na avenida Antônio Carlos. A parada está a 2 km dos portões do estádio e, em média, o torcedor gasta 20 minutos a pé para percorrer o trecho. Apesar de o resultado até agora ser satisfatório, técnicos da prefeitura já estudam um aperfeiçoamento do sistema. O Move deixaria a pista exclusiva logo após a estação UFMG, trafegando na pista mista da Antônio Carlos para acessar o viaduto José Alencar e, finalmente, subir a avenida Abrahão Caram parando em frente ao Mineirão. A alteração só seria testada após o fim da Copa do Mundo e teria como objetivo atender o torcedor, em especial, os com mobilidade reduzida ou também quem frequenta os estádios em jogos à noite. Como o projeto ainda está em fase de estudo, a prefeitura não detalha quais mudanças seriam necessárias para a alteração de trajeto dos ônibus em dias de partida no Mineirão. A principal intervenção seria para permitir o tráfego dos veículos articulados na pista mista antes do acesso ao viaduto. Tempo. Nas quatro partidas do Mundial realizados no Mineirão, o tempo médio gasto pelos usuários do sistema, saindo do centro até a porta do estádio, tem sido entre 50 minutos e uma hora – sendo cerca de 25 minutos gastos no trecho feito a pé. Ou seja, caso o Move passe a deixar o passageiro na porta do Mineirão, o tempo total gasto poderia ser de aproximadamente 35 minutos. O desempenho do Move tem sido comemorado internamente na prefeitura. Como o sistema no eixo Antônio Carlos ficou pronto nas vésperas do torneio, havia um temor de eventuais problemas surgirem durante a Copa do Mundo. Nos testes feitos pela reportagem de O TEMPO, as queixas mais frequentes dos usuários foram sobre a falta de informação, principalmente, da venda e do valor dos bilhetes. Mesmo assim, os ônibus do Move acabaram se transformando na melhor alternativa para chegar ao estádio, conforme apurou a reportagem em uma comparação com os ônibus especiais disponibilizados para os jogos do Mundial e os táxis. Em um dos testes, com o embarque às 10h (o jogo era 13h), o Move gastou apenas 20 minutos da estação na avenida Santos Dumont até a estação UFMG, na Antônio Carlos. Outras opções Ônibus. Além do Move, a prefeitura oferece ônibus especiais para o estádio durante a Copa, ao custo de R$ 15 ida e volta. A linha parte de pontos na Savassi, no Minas Shopping, centro e no Expominas.

Mais novidades A linha 642 substituirá o trajeto da 65 até a Cidade Administrativa. A 6025 vira 625. A 61 terá paradas em quatro estações da Vilarinho. O atendimento aos usuários de Venda Nova à noite e aos domingos e feriados será pela linha 63, na pista mista. A expectativa é que 5.000 usuários passem a usar o Move por dia. Deve cair de 140 para 129 o número de ônibus convencionais na Antônio Carlos, no horário de pico da manhã.

BHTrans remove obstáculos em canteiros da Antônio Carlos

Os blocos de concreto e parafusos nos passeios ao longo da avenida Antônio Carlos começaram a ser retirados nessa quarta pela Empresa de Transportes e Trânsito de Belo Horizonte (BHTrans). A medida foi tomada após reportagem de O TEMPO, na terça-feira, com relatos de acidentes envolvendo pedestres na avenida. A BHTrans informou que as remoções serão feitas gradativamente, “de forma que não impactem as operações de trânsito e transporte para os jogos da Copa do Mundo”. A empresa terceirizada responsável pelo serviço informou ter retirado ao menos 30 blocos com concreto e parafuso dos canteiros centrais até a tarde dessa quarta. Hoje, a mesma firma deve começar a instalar novos abrigos de ônibus em alguns desses pontos.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave