Isolado, Balotelli se defende de críticas e de comentários racistas

Jogador afirmou que não escolheu ser italiano e disse que se empenhou ao máximo na Copa do Mundo

iG Minas Gerais | FOLHAPRESS |

undefined

A eliminação precoce diante do Uruguai, nesta terça-feira (24), expôs as críticas internas da seleção italiana contra o atacante Balotelli, novamente alvo de comentários racistas vindos da torcida.

O jogador do Milan começou bem a Copa, quando desempatou o jogo na vitória de 2 a 1 sobre a Inglaterra e foi escolhido o melhor em campo pela Fifa.

Mas nas partidas seguintes Balotelli decepcionou, principalmente contra a Costa Rica, quando perdeu boas chances. Na eliminação diante do Uruguai em nova derrota por 1 a 0, ganhou a companhia de Immobile no ataque, mas ambos foram inoperantes.

O "fogo amigo" veio do principal líder da Azzurra, o goleiro e capitão Buffon, 36. Sem mencioná-lo diretamente, disse, em entrevista à TV Sky, que, "no campo você tem que fazer. Na basta o 'pode fazer' ou o 'talvez fará'".

Outro veterano da equipe, o volante De Rossi, foi mais incisivo: "Devemos levar tudo em conta e recomeçar com homens de verdade. Não a partir de figuras ou personagens: não servem para a seleção".

Os comentários foram interpretados pela imprensa italiana como direcionados a Balotelli, acusado frequentemente de falta de comprometimento e de não se integrar bem com o restante dos jogadores.

Desde que chegou ao Brasil, Balotelli, único negro na seleção italiana, dá sinais de distância dos colegas. Em fotos postadas por ele nas redes sociais, aparecia sempre sozinho ou ao lado da modelo Fanny Neguesha, de quem ficou noivo dentro da concentração.

Após a derrota contra o Uruguai, Balotelli entrou no ônibus cerca de uma hora antes do restante dos jogadores. Segundo o jornal "La Repubblica", foi o único que não ouviu o discurso de despedida do meia Pirlo da Azzurra, feito no vestiário.

RACISMO

Nascido em Palermo (sul) e filho de ganeses, Balotelli voltou a ser alvo de comentários racistas nas redes sociais. Um deles o acusou de "não ser italiano" e disse que ele deveria abandonar a Azzurra.

"Sou Mario Balotelli, tenho 23 anos e não escolhi ser italiano. Nasci e sempre vivi na Itália. Eu me empenhei com força para esta Copa e estou bravo e decepcionado comigo mesmo", escreveu, em sua conta no Instagram.

"Ou, talvez, como você diz, não seja italiano. Os africanos nunca abandonariam seu 'irmão'. NUNCA."

Balotelli foi o principal nome da Itália na Eurocopa-2012, quando anotou dois belos gols na semifinal contra a Alemanha. A equipe perdeu a final para a Espanha.

O atacante do Milan, porém, não voltou a repetir as boas atuações de 2012, alimentando críticas.

Após a derrota, a seleção voltou a Mangaratiba (110 km do Rio). O embarque para a Itália está previsto para as 18h45 desta quinta-feira (25).