Cerveja pode ser proibida em estádios da Copa para conter violência

Segundo porta-voz da Fifa, ideia já era pensada desde 2006 e pode ser colocada em prática mediante "jogo de alto risco"

iG Minas Gerais | FOLHAPRESS |

 A Fifa e o COL (Comitê Organizador Local da Copa do Mundo de 2014) podem proibir a venda de cerveja nos estádios caso considere a medida importante para assegurar a segurança nos jogos da competição.

A existência dessa possibilidade foi revelada nesta quarta-feira (25) pela porta-voz da Fifa, Delia Fischer.

"Desde as Copas de 2006 e 2010, há a oportunidade de se fazer isso em partidas de alto risco. A segurança tem sempre a maior prioridade", disse.

Segundo o diretor de comunicação do COL, Saint-Clair Milesi, a adoção dessa medida emergencial ainda não foi cogitada pela equipe de segurança no Mundial.

A entidade está preocupada com a escalada da violência na Copa e com o que pode acontecer quando seleções de países sul-americanos rivais se encontrarem na fase final, como Brasil e Argentina.

Houve confrontos entre torcedores dos dois países nas três cidades em que a seleção argentina se apresentou (Rio, Belo Horizonte e Porto Alegre). No Rio Grande do Sul, um argentino chegou a ser baleado.

Normalmente, a venda de bebidas alcoólicas nos estádios durante partidas de futebol é proibida em boa parte do Brasil.

Mas a Lei Geral da Copa, conjunto de regras a que o país se submeteu quando decidiu organizar o Mundial, permite que a cerveja seja vendida normalmente nas arenas durante a competição. A cervejaria Budweiser é uma patrocinadoras da Fifa e da Copa do Mundo.

Leia tudo sobre: cervejaproibiçãofifaestádioscopa do mundobrigajogospartidarisco