Federação Chilena se defende sobre caso de venda irregular de ingresso

Ator Pablo Diaz denunciou, pelo Twitter, que entradas que restaram do jogo contra a Holanda está sendo revendido por 800 dólares

iG Minas Gerais | FERNANDO ALMEIDA |

No ingresso está claramente escrito que o objeto pertence à diretoria ANFP
Reprodução/Twitter
No ingresso está claramente escrito que o objeto pertence à diretoria ANFP

A Asociación Nacional de Fútbol Profesional do Chile (ANFP) defendeu-se da acusação de venda irregular de ingressos para a partida contra a Holanda, divulgada pelo ator chileno Pablo Diaz por meio do Twitter.

Segundo Diaz, ele conseguiu fazer a compra do bilhete na rua da capital paulista antes do duelo do último dia 23 no Itaquerão pelo valor de quase 800 dólares em uma entrada de 90 dólares. No ingresso está claramente escrito que o objeto pertence à diretoria ANFP.

De acordo com um representante da Federação Chilena, ela tinha em seu poder 700 bilhetes a serem entregues para a chamada “família do futebol”, ou seja, membros da diretoria chilena. A federação tenta agora, com a ajuda da Fifa, encontrar quem vendeu a entrada para o ator chileno.

“A Federação disponibilizou 700 entradas para serem vendidas a membros da chamada “família do futebol”. Aparentemente algum desses compradores teve alguma sobra e, estamos investigando, não encontrou nada melhor que revender. Estamos tentando identificar essa pessoa”, informou a assessoria de imprensa da federação chilena.

“Pedimos a Fifa se ela pode pegar o rastro disso e ela não tem o registro, o nome da pessoa que fez a compra”, completou.

Leia tudo sobre: Copa do Mundochileingressoafnp