PM repete esquema de segurança no Maracanã para jogo da França

Isolamento ao redor do estádio começou seis horas antes do duelo a fim de evitar invasões ocorridas nos dois primeiros jogos

iG Minas Gerais | FOLHAPRESS |

Seis horas antes do jogo entre França e Equador, marcado para as 17h desta quarta-feira (25), no Maracanã, a Polícia Militar do Rio iniciou um bloqueio no entorno de todo o estádio, em um raio de cerca 1km.

A exemplo do último domingo (22), somente moradores com comprovante de residência, pessoas com ingressos nas mãos ou credenciadas pela Fifa podem transitar dentro do perímetro de segurança. Quem estiver dentro do perímetro sem estar autorizado é convidado a se retirar.

A estratégia de segurança foi tomada em conjunto pelo Comitê Organizador Local e as forças de segurança pública, a pedido da Fifa, após duas invasões de torcedores nos dois primeiros jogos da Copa que ocorreram no estádio.

Inicialmente, mesmo após as invasões, seriam usados mais PMs no entorno, mas o controle do acesso não seria tão rigoroso. O reforço policial conta com 3.100 policiais, 900 a mais do que o previsto para o policiamento externo do estádio, de responsabilidade da PM.

O número de policiais no local representa quase o triplo de agentes empregados em uma final de campeonato brasileiro no estádio, quando o estimado gira em torno de 1.200 PMs.

Para aumentar o efetivo, foram chamados policiais lotados em unidades administrativas e do Bope (Batalhão de Operações Policiais Especiais). Uma equipe da unidade especial é a responsável pela triagem na avenida Maracanã, que passa em frente ao estádio.

A CET-Rio também bloqueia ruas no entorno, para impedir o trânsito de veículos e facilitar o fluxo de torcedores. Até o momento, já foram interditadas 12 vias, entre elas a avenida Radial Oeste, no sentido Centro, e a avenida Maracanã, nos dois sentidos. Até a hora do jogo, 19 vias serão interditadas.

Leia tudo sobre: pmpolícia militarsegurançamaracanãestádiofifa