Ministro faz balanço cauteloso da Copa e critica seleções europeias

Em Manaus, Aldo Rebelo declarou que "as coisas têm funcionado" e que o governo já previa a possibilidade de confusões envolvendo torcedores sul-americanos

iG Minas Gerais | Folhapress |

Ministro do Esporte, Aldo Rebelo considera que o movimento está se enfraquecendo
Roosewelt Pinheiro/ABr
Ministro do Esporte, Aldo Rebelo considera que o movimento está se enfraquecendo

Após repetir que a Copa tem "pequenos problemas", o ministro do Esporte, Aldo Rebelo, pediu cautela sobre o balanço parcial da organização do torneio.

"Você só realiza uma Copa vencendo o desafio todos os dias. Tem que fazer funcionar aeroportos, tráfego, estádios, mobilidade, segurança. Não podemos até agora comemorar nada. Até agora, o país tem se incumbido bem das suas atribuições. As coisas têm funcionado, pequenos problemas que aparecem são compreensíveis em um evento desta dimensão. Acho que está indo bem", disse Rebelo, em visita ao Centro Aberto de Mídia de Manaus.

Além de rasgar elogios à única sede do Norte, Rebelo afirmou que o governo federal já previa a possibilidade de confusões envolvendo sul-americanos, como a invasão de chilenos ao Maracanã, ou as brigas entre brasileiros e argentinos.

"Isso era previsível. Numa Copa, você tem que levar em conta as possibilidades de conflitos. O que deve ser celebrado é que todos eles foram enfrentados sem consequência mais grave. Não tivemos um caso de violência que tivesse uma consequência grave. Tudo tem sido administrado", afirmou.

Rebelo também se queixou das críticas das seleções europeias em relação ao clima tropical. "Não há desculpa em relação ao clima. Os ingleses passaram dias em Miami, e lá não é propriamente um clima polar. Os sul-americanos chegaram em condições físicas melhores. Espero que os europeus encontrem uma causa mais permanente, mais duradoura e mais verdadeira para as suas dificuldades".

Até a mordida do uruguaio Luis Suárez sobre o italiano Chiellini virou assunto para o ministro. "Lamentável, uma infelicidade. Se tem alguém que não precisa usar outros instrumentos além dos pés para ter um bom desempenho, é o Luis Suárez".