Argentinos chegam em peso e devem ser quase torcida única no Beira-Rio

Torcedores da albiceleste lotam as ruas e arredores do estádio desde a manhã; nigerianos quase não são vistos

iG Minas Gerais | FOLHAPRESS |

Invasão hermana em porto Alegre: argentinos já estão no local para assistir ao jogo
Anselmo Cunha/PMPA
Invasão hermana em porto Alegre: argentinos já estão no local para assistir ao jogo

A prometida invasão argentina a Porto Alegre para o duelo desta quarta-feira (25) contra a Nigéria deve transformar a partida em um jogo praticamente de torcida única. Na chegada dos torcedores pela manhã, a grande maioria vestia camisas azuis e brancas. As filas já são enormes na entrada do Beira-Rio.

Torcedores brasileiros de Grêmio e Inter, que compareceram em grande número em jogos anteriores, desta vez escassearam. É raro encontrar nigerianos a caminho do estádio.

Nos jogos anteriores na capital gaúcha, o Beira-Rio se dividiu entre as torcidas das duas seleções que jogaram. Até países que não tinham muitos visitantes aguardados, como Argélia e Honduras, conseguiram levar um número significativo de torcedores ao estádio.

O nigeriano Abayomi Whesu, 58, foi de São Paulo a Porto Alegre para o jogo e diz que a diferença não será um entrave para uma boa partida de sua seleção. "Não será um problema para nós. Nem Messi. Vamos ganhar por 3 a 1".

A chegada dos argentinos ao estádio é animada com uma música com provocação aos brasileiros. A letra lembra a vitória na Copa de 1990 e diz que "Maradona é maior do que Pelé". "Brasil, Brasil, me diga como se sente tendo em casa seu papai", cantam repetidamente os argentinos.

Leia tudo sobre: argentinosbeira-rioporto alegrejogocopa do mundofestatorcidahermanos