Reajuste de tarifa de luz em SP vai impactar inflação

Concessionária paulista requisitou à Aneel aumento de 16,69% nas contas de energia

iG Minas Gerais |

O impacto do reajuste de 16,69% na tarifa de luz pedido pela Eletropaulo – responsável pela distribuição de energia para parte dos municípios da região metropolitana de São Paulo, incluindo a capital paulista – à Aneel pode ser de 0,15 ponto percentual no Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). A avaliação é do economista-sênior do Espírito Santo Investment Bank (Besi Brasil), Flávio Serrano.

A agência reguladora tem até o próximo dia 4 de julho para dar um parecer sobre o pedido e por isso, o impacto na inflação ficaria todo para o próximo mês.

Pelo tamanho de São Paulo e pelo peso do município (30,6%) no cálculo do IPCA, o eventual reajuste da Eletropaulo teria mais que o dobro do peso no indicador de inflação do que o reajuste médio de 35,05% nas tarifas de energia autorizado pela Aneel aos consumidores de Curitiba (PR), atendidos pela Copel. Se o aumento for repassado pela Copel – que pediu ontem a suspensão do reajuste e uma negociação – , o impacto no IPCA seria de 0,07 p.p segundo Serrano. Ele seria dividido em 0,01 p.p em junho e 0,06 p.p em julho. “É um impacto menor, mas não é desprezível”, afirma ele.

Leia tudo sobre: reajusteSPimpactoinflação