Colosso candango deveria ser impecável, mas não é

iG Minas Gerais | Felipe Ribeiro e Guilherme Guimarã |

Ajustes. Mesmo belo e com a manutenção em dia, estádio Mané Garrincha peca no acesso interno e na funcionalidade
douglas magno
Ajustes. Mesmo belo e com a manutenção em dia, estádio Mané Garrincha peca no acesso interno e na funcionalidade

Brasília. Para um estádio que custou cerca de R$ 2 bilhões, não era para estar faltando nada. Mas falta. No geral, o Mané Garrincha passou no teste, com boa estrutura para receber o público, mas, pelo valor exorbitante da obra, era para ser impecável, sem falhas, principalmente no sistema operacional. O palco de jogos da Copa chama a atenção pela imponência. Os últimos lances de “arquibancada” são muito altos e inclinados, o que provoca uma impressão de grandiosidade e até pode gerar medo. A cobertura, os dois telões e o tom vermelho dos assentos finalizam a beleza da arena candanga. O cuidado com a manutenção também é um ponto a ser destacado. Corredores, escadas, elevadores e banheiros têm ótimo estado de conservação e limpeza. O acabamento dos acessos internos, porém, deixa muito a desejar com fios e canos à mostra. Os pontos mais críticos estão relacionados a quem precisa trabalhar no estádio. A funcionalidade para a imprensa é quase nula, com grandes distâncias que devem ser percorridas em pouco tempo. Além disso, os voluntários, em sua maioria, são maltreinados. No fim das contas, o Mané Garrincha passa, mas, se fosse filho de pais exigentes, levaria alguns puxões de orelha para corrigir os erros.

Elogios a Neymar Vice-artilheiro da Copa, com três gols, o atacante alemão Thomas Müller (<FI10>na foto</FI>) cobriu de elogios Neymar, que na última segunda-feira o superou na tabela de goleadores e lidera com quatro tentos. “Neymar é um excelente jogador, dinâmico, tem fome de gol”, disse Müller em entrevista nessa terça. Mas brincou na hora de se comparar com o brasileiro e afirmou: “as pessoas dizem que sou incomparável”.

Sem duvidar O meia holandês Dirk Kuyt afirmou nessa terça que as três vitórias consecutivas na Copa do Mundo dão segurança aos jogadores da seleção e que o sistema utilizado é o correto. “Depois de vencermos por 5 a 1 a Espanha campeã do mundo, ganharmos do Chile, apontada como sensação do Mundial, acho que não temos que convencer ninguém”, afirmou Kuyt. 

Raios, Espanha! Depois de uma campanha bem abaixo do esperado, a seleção espanhola passou pelo susto de um raio atingir seu voo de volta para casa. O avião da companhia Iberia foi atingido, nessa terça, na descida para o aeroporto de Madri. A descarga parecia uma explosão, mas o desembarque ocorreu sem problemas.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave