Ações da Petrobras caem mais de 3% e fazem Bolsa fechar no zero a zero

Papéis reagiram à expectativa de que a estatal terá que desembolsar recursos para explorar o óleo excedente de áreas de exploração da cessão onerosa

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Depois de ter subido mais de 1% durante o dia, o principal índice da Bolsa brasileira perdeu força e fechou esta terça-feira (24) perto da estabilidade, influenciado pelas ações da Petrobras. O Ibovespa subiu 0,13%, para 54.280 pontos.

As ações preferenciais da Petrobras encerraram o pregão com perda de 3,50%. Os papéis reagiram à expectativa de que a estatal terá que desembolsar recursos para explorar o óleo excedente de áreas de exploração da cessão onerosa.

A cessão onerosa foi um mecanismo criado pelo governo federal para permitir que a estatal produza até 5 bilhões de barris de petróleo em algumas áreas do pré-sal, sem a necessidade de licitação, mas mediante um pagamento.

O CNPE (Conselho Nacional de Política Energética) aprovou nesta terça-feira a contratação direta, pela Petrobras, do petróleo excedente em quatro áreas da chamada cessão onerosa. A estatal terá que pagar R$ 2 bilhões em bônus para ter o direito de explorar o óleo.

Além disso, a União deverá receber o equivalente a R$ 13 bilhões em antecipações pelo óleo equivalente excedente na cessão onerosa entre 2015 e 2018, disse o secretário de Petróleo, Gás e Combustíveis Renováveis do Ministério de Minas e Energia, Marco Antônio Martins Almeida.

O anúncio contrariou expectativas do mercado sobre o acordo da cessão onerosa. "A diretoria da Petrobras, em reuniões com o mercado, disse que não esperava nenhum impacto no caixa da empresa por conta dessa reavaliação de reservas. Parece que não será assim", afirmou a Elite Corretora, em nota.

A Petrobras disse em comunicado que o acordo sobre a cessão onerosa não impactará "materialmente os seus resultados e indicadores de financiabilidade".

Já o Itaú BBA afirmou que não há forma de a Petrobras antecipar a produção de barris previstos no acordo a menos que adie outros projetos em seu portfólio. "Em outras palavras, a Petrobras vai pagar R$ 15 bilhões ao governo em cinco anos para barris que serão produzidos no longo prazo", disse.

MERCADO

"O mercado tem realizado [caído] sempre com volume [financeiro e de negócios] baixo e subido com volume forte. Isso é bom. É um sinal de consistência", diz Fernando Góes, analista da Clear Corretora. "Acreditamos que é possível o Ibovespa chegar em 57.500 pontos, ou talvez 60.000 pontos, ainda neste movimento especulativo, antes das eleições. Mas continua com bastante risco e instabilidade", acrescenta.

Depois de terem subido até 3,6% no início do dia, as ações da companhia de energia paranaense Copel inverteram a tendência e fecharam com perda de 0,24%.

O ganho pela manhã foi motivado pela notícia de que a diretoria da Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) aprovou um reajuste médio de 35,05% a ser aplicado a partir desta terça (24) nas tarifas da Copel. A distribuidora de energia atende 396 municípios no Estado, sendo três deles apenas na área rural.

O governador do Paraná, Beto Richa (PSDB), no entanto, declarou pelo Twitter que vai pedir a suspensão do reajuste à agência reguladora do setor.

As ações da BB Seguridade ficaram entre as maiores altas do Ibovespa. O conselho de administração da empresa aprovou nesta terça a adoção de um índice de 80% sobre o resultado apurado no primeiro semestre de 2014 para remuneração aos acionistas.

CÂMBIO

No câmbio, o dólar voltou a subir em relação ao real, depois da queda registrada na segunda-feira. A moeda americana à vista, referência no mercado financeiro, teve valorização de 0,12% sobre o real, cotada em R$ 2,221 na venda. Já o dólar comercial, usado no comércio exterior, avançou 0,40%, a R$ 2,227.

O Banco Central deu continuidade ao seu programa de intervenções diárias no câmbio, através do leilão de 4 mil contratos de swap (operação que equivale a uma venda futura de dólares), por um total de US$ 198,7 milhões.

A autoridade também promoveu um novo leilão de 10 mil contratos de swap para rolar vencimentos de 1º de julho, por US$ 494,3 milhões. Até agora, o BC já rolou cerca de 70% dos papéis com prazo para o primeiro dia do mês que vem.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave