Batalhador, Sturridge se salva em meio à tragédia inglesa no Brasil

Isolado no esquema arquitetado pelo técnico inglês Roy Hodgson, o centroavante movimentou-se, buscou as jogadas e foi o jogador mais perigoso

iG Minas Gerais | JOSIAS PEREIRA |

A seleção inglesa entrou em campo contra a Costa Rica disposta a evitar um vexame histórico em Copas do Mundo. Mas a prometida luta em campo foi vencida pelo desânimo. Nem mesmo a formação com jovens como Lallana, Wilshere, Shaw e Jones empolgou os mais de 57 mil torcedores presentes no Mineirão. A única exceção foi o atacante Sturridge. Isolado no esquema arquitetado pelo técnico inglês Roy Hodgson, o centroavante movimentou-se, buscou as jogadas e foi o jogador inglês que mais promoveu perigos ao ótimo goleiro costa-riquenho Keylor Navas. Sua primeira oportunidade nasceu logo aos 11 minutos do primeiro tempo. Após passe de Wilshere, o camisa 9 inglês arriscou um chute colocado. A bola passou a centímetros da trave esquerda. No início do segundo tempo, Sturridge saiu na cara do gol, mas acabou se enrolando na hora da finalização. Navas saiu bem e abafou o que poderia ser o gol da vitória inglesa. No decorrer da partida, o jogador permaneceu em sua luta solitária no comando do ataque. Rooney e Gerrard até entraram em campo, mas a Inglaterra pouco produziu. A apatia do time ficou escancarada e a torcida brasileira não perdoou. Após tantos jogos empolgantes no Mineirão, o Gigante da Pampulha viu seu primeiro 0 a 0 em Copas do Mundo. Restou aos ingleses a lamentação. Aos costa-riquenhos, a felicidade com a inesperada primeira posição no Grupo da Morte da Copa do Mundo.